IMECC exibe documentário sobre a vida de Alan Turing

IMECC exibe documentário sobre a vida de Alan Turing

Instituto também promoverá palestra sobre a internet das coisas

 

codebreaker

 

A seção de extensão do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da UNICAMP organizará duas atividades nesta semana.

Na quarta-feira (21), o professor Eduardo Galembeck, do Instituto de Biologia da UNICAMP, será o apresentador das Palestras da Extensão. O tema do evento é a internet das coisas e as possibilidades que ela traz no ensino de ciências. A apresentação começará às 13h.

A sexta-feira (23) será de cIneMatECCa, com o britânico “Codebreaker”, de 2011. A obra é um documentário que conta a história de Alan Turing e de sua relação com o psiquiatra Franz Greenbaum, que conviveu com Turing nos últimos 18 meses da vida do cientista. A obra também traz relatos de outras pessoas que conviveram com Turing e entrevistas com especialistas da área de tecnologia e ciência avançada. A exibição do documentário começará às 15h30.

As duas atividades serão realizadas no auditório do IMECC e são abertas ao público. Confira o resumo da palestra de quarta-feira:

O avanço das novas tecnologias de informação e comunicação trouxe contribuições significativas para o ensino de ciências. Além disso, o rápido ritmo de introdução de novas tecnologias em laboratórios de pesquisa cria a necessidade de sua implantação oportuna nas salas de aula. Infelizmente, na maioria dos casos existe um grande intervalo de tempo entre a adoção generalizada de novas tecnologias de pesquisa e sua disponibilidade para estudantes em cursos regulares. Um caso notável foi a disseminação de computadores pessoais que trouxe muitos benefícios à educação científica. Computadores tornaram informações de fontes diversas e distantes prontamente disponíveis para estudantes e professores na sala de aula, laboratórios de ensino e em casa. Alguns exemplos dos benefícios propiciados pelos computadores pessoais para a educação científica são: a possibilidade de interação com modelos e seu desenvolvimento, a capacidade de armazenamento, tratamento, troca e visualização de dados, bem como a possibilidade de simulação de sistemas complexos. A capacidade de ter as coisas (instrumentos, equipamentos, sensores, atuadores) conectados à internet abriu uma perspectiva única para a educação científica. Os experimentos podem ser planejados e os dados podem ser coletados e interpretados remotamente, usando dispositivos pessoais e equipamentos que podem ser disponibilizados aos alunos para operação remota, a partir de suas escolas. Esta palestra apresentará exemplos e possibilidades que internet das coisas possibilita no ensinar ciências fazendo ciência.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Última modificação em Segunda, 19 Junho 2017 19:58