Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Análise de Risco

Alemanha favorita: estatísticos projetam resultados da Copa do Mundo de 2018

Grupo de pesquisa conta com pesquisadores do CeMEAI

 

Alemanha favorita: estatísticos projetam resultados da Copa do Mundo de 2018

A FIFA World Cup começa daqui a uma semana, mas, para um grupo de estatísticos brasileiros, o torneio já começou faz tempo. Eles criaram um modelo de previsão que mostra as probabilidades de cada seleção avançar de fase até a final - e os resultados iniciais mostram que a favorita para este ano é o carrasco do Brasil em 2014. Conheça o projeto: https://goo.gl/UBPgTd

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quinta-feira, 7 de junho de 2018

 

Os jogos da Copa do Mundo de 2018 começam no próximo dia 14 de junho, mas, para um grupo de estatísticos formado por membros de três universidades brasileiras, o torneio começou já faz tempo. Desde a Copa de 2006, eles desenvolvem modelos estatísticos de previsão dos resultados de eventos esportivos.

“Nós tínhamos dificuldades para encontrar locais ou informações sobre diferentes campeonatos. Então, nessa contextualização, resolvemos trabalhar com modelagem estatística aplicada ao esporte”, explica Francisco Louzada, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e um dos coordenadores do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI).

Os modelos desenvolvidos pelo grupo de previsão esportiva levam em consideração informações objetivas e subjetivas. “Nós utilizamos o conhecimento de especialistas nas análises e também informações exatas, como o ranking da Fifa”, conta Louzada, que também é presidente da Associação Brasileira de Estatística. “Essa é a grande vantagem do modelo. Você pode incorporar as opiniões de especialistas para tentar obter resultados mais fiéis à realidade”, complementa Adriano Suzuki, que também é professor do ICMC e pesquisador do CeMEAI.

Antes de cada torneio, o modelo usa essas informações para gerar uma previsão dos resultados: quais as chances de cada time passar da primeira fase e ir avançando, etapa por etapa, até a final. Quando os jogos começam, as contas são atualizadas a cada rodada, levando em conta os placares definidos e outras situações relevantes, como um jogador importante que se machucou, por exemplo.

Para esta Copa do Mundo, as projeções mostram que a Alemanha é o time com mais chances de ser campeão (17,39%). O Brasil aparece em terceiro lugar (12,93%), logo atrás da Espanha (15,64%). Segundo os cálculos iniciais, a probabilidade de o título ficar entre esses três times é de 46%. Todos os resultados estão detalhados no site do projeto, que também analisa outros campeonatos de futebol.

chances copa 2018 2

As seleções com maiores chances de vencer a Copa do Mundo, segundo o site previsaoesportiva.com.br

Dê seus palpites!

O projeto de previsão esportiva também tem um caráter interativo. Qualquer pessoa pode entrar no site do projeto para palpitar os resultados da primeira fase da Copa do Mundo e gerar novas probabilidades a partir desses palpites.

Depois de preencher os resultados imaginados, é só fazer a simulação e as novas probabilidades aparecem na tela. Para fazer toda a estruturação do modelo, o grupo de previsão esportiva conta com pesquisadores da USP, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade Federal da Bahia (UFBA). “Fazem parte alunos de graduação, de mestrado e de doutorado, que, ao longo desse período, entraram e saíram, concluíram o curso, tem alunos que fizeram IC e alunos de pós que têm interesse em trabalhar no tema”, diz Suzuki.

Esta é a quarta edição da Copa do Mundo a ser analisada pelos estatísticos. Luis Ernesto Salasar, professor da UFSCar, faz parte do grupo desde o mundial de 2006, quando ainda era estudante de mestrado. “Acho que o esporte é um tema que cativa todo mundo, o público em geral, os alunos, então eu como aluno gostei muito do projeto e desde 2006 nós estamos trabalhando nisso”, comenta.

E as previsões devem continuar para as próximas Copas. “Os alunos sempre estão buscando informações e querendo participar de alguma espécie de previsão para algum campeonato, algum esporte. Então, isso provavelmente vai perdurar por muito tempo na universidade”, comemora Salasar.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisa com apoio do CeMEAI é premiada na área de Estatística Bayesiana

Travel Award foi concedido ao aluno Lucas Pereira Lopes pela sociedade internacional ISBA

 

EBEB 2018

 

Um projeto do aluno de mestrado Lucas Pereira Lopes do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, foi contemplado com o prêmio Travel Award - melhor trabalho em pôster na categoria de pesquisadores fora do estado do Rio de Janeiro, onde ocorreu o XIV Encontro Brasileiro de Estatística Bayesiana.

A premiação é concedida pela ISBA (International Society for Bayesian Analysis) que reconheceu a pesquisa de Lucas denominada Bayesian Option Pricing using Copula-GARCH model. “O trabalho premiado é uma parte da minha dissertação onde eu estudo o processo de precificação de opções financeiras multivariadas utilizando a teoria de cópulas e inferência bayesiana para várias funções payoffs e comparo essa nova abordagem com os métodos clássicos, por exemplo, o método de Black e Scholes multivariado”. explicou.

“Fiquei imensamente feliz com esse reconhecimento, pois ganhar um prêmio de melhor trabalho em um evento nacional é muito gratificante”.

Lucas tem como orientadores Vicente Garibay Cancho e Francisco Louzada Neto, ambos pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) que apoia a pesquisa por intermédio do Grupo de Modelagem de Risco, uma das áreas do CEPID.

 

Sobre o evento

O Encontro Brasileiro de Estatística Bayesiana (EBEB) é realizado com periodicidade de dois anos desde 1991, inicialmente por grupos de pesquisadores brasileiros interessados na divulgação e crescimento da pesquisa em estatística bayesiana no país. Desde então, o EBEB tem atraído pesquisadores de vários países, especialmente da América do Sul, que têm considerado o evento um bom fórum para divulgar os resultados das pesquisas que desenvolvem em seus países, dando um caráter mais internacional a este importante evento brasileiro.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisa usa estatística para reduzir mortalidade materna e perinatal

Trabalho internacional tem colaboração da pesquisadora Gleici Perdoná

 

Um trabalho desenvolvido em colaboração com a professora Gleici da Silva Castro Perdoná, do Departamento de Medicina Social (DMS), da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP visa reduzir a mortalidade materna e perinatal no mundo.

Como parte do projeto Better Outcomes in Labour Difficulty (BOLD) da Organização Mundial da Saúde, a pesquisa já se torna uma referência no que se refere a uma nova ferramenta de monitoramento de parto e foi publicada no início deste ano na revista científica americana PLOS Medicine, com fator de impacto 14,429.

Entenda melhor o trabalho que conta com apoio do do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI):

 

Pesquisa usa estatística para reduzir mortalidade materna e perinatal

A professora Gleici Perdoná, da FMRP USP e pesquisadora do CEPID - CeMEAI, faz parte de uma pesquisa que busca reduzir a mortalidade materna e perinatal no mundo todo. Conheça melhor o trabalho:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quarta-feira, 25 de abril de 2018

Pesquisa desenvolve modelos matemáticos para controlar epidemias

O estudo pode orientar as ações da rede de saúde

 

Pesquisa desenvolve modelos matemáticos para controlar epidemias

Um estudo desenvolvido por pesquisadores do CEPID - CeMEAI investiga modelos matemáticos que podem ajudar nas ações de controle de doenças. Entenda: https://goo.gl/xdxXBo

Posted by CEPID - CeMEAI on Wednesday, January 17, 2018

 

Modelar a propagação de epidemias onde as pessoas interagem em diferentes meios é o principal objetivo de uma pesquisa desenvolvida com o apoio do CEPID-CeMEAI. O pesquisador Francisco Rodrigues, também professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP), de São Carlos é o coordenador deste estudo que investiga modelos matemáticos visando, entre outras aplicações, auxiliar em ações de controles epidemiológicos.

O trabalho realizado em cooperação com Guilherme Ferraz de Arruda, também do ICMC-USP, Emanuele Cozzo e Yamir Moreno, da Universidade de Zaragoza, na Espanha, e Tiago P. Peixoto, da Universidade de Bath, no Reino Unido apresenta uma formulação contínua de propagação de epidemia em redes multicamadas.

“Mostramos numericamente a existência de localização da doença e o surgimento de dois ou mais picos de susceptibilidade, que são caracterizados analiticamente e numericamente através da proporção de participação inversa. Em desacordo com o que é observado em redes de camada única, mostramos que a localização da doença ocorre nas camadas e não nos nós de uma determinada camada”, explica Francisco.

A pesquisa relata ainda um fenômeno interessante: o efeito de barreira; para uma configuração de três camadas, quando a camada com o autovalor mais baixo está localizada no centro da linha, ele pode efetivamente agir como uma barreira à doença. Trata-se de uma abordagem matemática unificadora do contágio de doenças, abrindo novas possibilidades para o estudo dos processos de disseminação.

O estudo teve início há quatro anos e ganhou destaque em artigo publicado em 2 de fevereiro do ano passado na "Physical Review X". Neste momento, a pesquisa evolui para modelos mais precisos onde seja possível, por exemplo, propor políticas de vacinação que podem funcionar com muita eficácia na sociedade. “Com um conjunto de dados cada vez maior e eficiente será possível apontar com exatidão como agir e o tempo necessário para conter uma epidemia o mais rápido possível”, completou Francisco.

O foco atual do trabalho são pessoas e cidades, no entanto, o mesmo estudo pode ser aplicado a animais e rumores na internet. Saiba mais.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Projeto iSports é atração na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Evento ocorreu neste ano em Cuiabá e teve como tema “A matemática está em tudo”

 

isports

Alexandre Maiorano (em pé, à direita) apresentou o sistema na SNCT

 

Com o principal objetivo de aproximar Ciência e Tecnologia da população, ocorreu entre 23 e 26 de outubro, em Cuiabá, Mato Grosso, a 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações (MCTIC).

Um dos projetos de maior destaque desenvolvido no CEPID-CeMEAI, por intermédio do pesquisador e coordenador de Transferência de tecnologia Francisco Louzada Neto – o iSports, que identifica talentos esportivos, foi apresentado no evento.

O aluno de doutorado de Louzada Neto, Alexandre Maiorano, ministrou a oficina “Você é bom no futebol? Teste as suas habilidades!”. Durante a oficina, alunos de ensino médio de escolas de Cuiabá foram testados quanto as habilidades neste esporte. Os trabalhos ocorreram na Arena Pantanal e contaram com a participação de vários docentes e alunos dos Departamentos de Matemática e Estatística da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT).

“Ficamos surpresos com a receptividade, tanto dos docentes da UFMT, quanto dos alunos do ensino médio, que ficaram muito empolgados com os resultados obtidos”, comentou Maiorano.

A SNCT tem o objetivo de aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país. A ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Semana começa com workshop Advances in Complex Systems no ICMC

Evento conta com a participação do professor Yamir Moreno da Universidade de Zaragoza

 

tratada 1 3tratada 2

                      Professor Yamir Moreno (último sentado à direita) fica em São Carlos                           Pesquisador foi convidado pelo professor Francisco Rodrigues                                                                                                              até dia 18 de abril                                                                                                                            (à esquerda)

 

O professor Yamir Moreno, da Universidade de Zaragoza, está visitando o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP/São Carlos até o dia 18 de abril. Ele vem a convite do professor e pesquisador do CEPID-CeMEAI Francisco Rodrigues e é um dos principais pesquisadores em redes complexas da atualidade, com mais de 20.000 citações e fator h 55. 

Aproveitando a presença do professor visitante, de hoje (10/04) até quarta-feira (12/04), um workshop foi organizado para alunos e professores interessados no tema. Veja o cronograma na página do evento.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Sistema de gestão de resíduos tem resultados positivos em projeto piloto

Cidade de Matão, no interior de São Paulo, foi a primeira a testar o programa

 

Uma parceria entre o CEPID - CeMEAI, a Reenvolta Socioambiental e a prefeitura da cidade de Matão colocou em funcionamento um sistema que trouxe resultados interessantes para o meio-ambiente: o SISGERES, Sistema de Gestão de Resíduos Sólidos. Entenda: https://goo.gl/PS9JOC

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quarta, 1 de fevereiro de 2017

 

Uma parceria entre a Universidade de São Paulo (USP), a cooperativa Reenvolta e a prefeitura de Matão trouxe resultados muito interessantes para o meio-ambiente. E o trabalho está apenas começando.

Sob a tutela do professor Francisco Louzada Neto, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e coordenador de transferência tecnológica do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI), pesquisadores desenvolveram um sistema de gerenciamento de resíduos sólidos que pode ajudar – e muito – no controle que os municípios têm sobre os materiais que são descartados.

De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), em 2015, o estado de São Paulo gerou mais de 62 mil toneladas de resíduos sólidos por dia – uma média de 1,4 kg por habitante todos os dias. Ainda segundo o levantamento, o Brasil descarta quase 200 mil toneladas de material por dia.

“A gestão de resíduos precisa da tecnologia da informática, da computação. A variedade e a quantidade de resíduos são enormes, e, para tratarmos volumes enormes de informações qualitativas e quantitativas, nos servimos dessas áreas, e a USP é um centro de excelência fabuloso”, pontua Paulo Mancini, coordenador administrativo da Reenvolta. A cooperativa reúne profissionais da área socioambiental e serviu como ponte entre os pesquisadores da USP e a prefeitura de Matão.

O sistema recebeu o nome de SISGERES – sigla para Sistema de Gestão de Resíduos Sólidos. O funcionamento é bem simples. A cada despejo de resíduo, o usuário registra no programa a data do descarte, a quantidade e o tipo de material descartado e a origem e o destino dos resíduos. A partir disso, o SISGERES gera tabelas e gráficos que facilitam o entendimento do processo de descarte no prazo de tempo que o usuário quiser.

“Aqui em Matão, em todo fim de mês, nós analisamos a quantidade e os tipos de resíduos gerados. Esse convênio teve início em março de 2016 e, mesmo sendo recente, já nos permite observar que, em alguns meses, temos uma produção maior de resíduos e quais são os tipos mais recorrentes. Nosso objetivo, com esses dados, é determinar os melhores momentos para a criação de campanhas de redução, de reutilização e de reciclagem. Com isso, é possível diminuir a quantidade de resíduos que vai para o aterro sanitário e, consequentemente, aumentar a vida útil desse aterro”, explica Michela Adriane Alves, ex-diretora da Divisão de Coleta de Lixo do Departamento de Meio-Ambiente de Matão.

A ex-diretora do Departamento, Maria Bellintani, também comemora a utilização do sistema. “Nós ficamos muito contentes com a escolha do nosso município para o desenvolvimento do projeto piloto. Nós sabemos da importância desse mecanismo, de uma forma geral, para todos os municípios, porque a problemática dos resíduos é bastante grande”, comenta.

 

Ajudando a cumprir metas

Em 2010, com a aprovação da Lei 12.305/10, foi instituída a Política Nacional de Resíduos Sólidos, criada para permitir o avanço do Brasil em relação a problemas ambientais, sociais e econômicos que são consequência do tratamento inadequado de resíduos sólidos.

Nesse contexto, o SISGERES pode ser ainda mais importante. Como o sistema é customizável e de fácil aplicação, pode ser utilizado por qualquer cidade, estado ou até país. E os pesquisadores estão abertos a novas parcerias. “Nós temos todo o interesse em disponibilizar o sistema para outras cidades. Fizemos na cidade de Matão como piloto e verificamos que, de fato, dá certo. Estamos dispostos a disponibilizar para outras cidades utilizarem o sistema”, frisa o professor Louzada.

“Nós vivemos em uma sociedade de enorme desperdício, mas o planeta já não aguenta mais. Nossa esperança é que o SISGERES seja útil para a sociedade e se transforme em um produto que a gente possa colocar nos mais diferentes empreendimentos possíveis, sejam eles empresas privadas, públicas, governos estaduais ou municipais”, reforça Mancini.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisadora fala sobre cálculo da nota do Enem

Vídeo de Mariana Curi explica metodologia utilizada pelo Inep

 

A professora Mariana Curi, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC/USP) e pesquisadora da área de Estatística do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI), gravou um vídeo para auxiliar alunos no entendimento da metodologia de cálculo da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Mariana e o pesquisador Jorge Bazán coordenam o Grupo de Pesquisa de Teoria de Resposta ao Item do ICMC, formado por alunos de graduação e de pós-graduação da USP/São Carlos. Ela lembrou que o cálculo da nota não é mais por porcentagem de acertos e falou sobre outros pontos. Confira:

 

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma prova diferente dos outros vestibulares, porque as notas não dependem apenas da quantidade de questões acertadas. Entenda como funciona a avaliação do ENEM:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça, 20 de dezembro de 2016

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupo trabalha para melhorar alfabetização em Estatística

Workshop desenvolveu atividades lúdicas para o ensino médio

 

 

Entre os dias 24 e 25 de novembro, a biblioteca do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC/USP) sediou o 1º WALE - Workshop de Atividades Lúdicas de Estatística para o Ensino Médio.

O evento faz parte de um trabalho realizado por professores e alunos do grupo de Estatística da USP/São Carlos, coordenados pelo pesquisador Francisco Louzada, do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI).

Segundo o pesquisador, o principal objetivo é melhorar a alfabetização em estatística no país. Para isso, o foco das atividades está na capacitação dos professores e ações de ensino dedicadas aos alunos do ensino médio.

“Até os professores têm dificuldades de acesso a conteúdos que precisam entregar aos estudantes nesta área”, comentou Louzada.

“Montamos um grupo de trabalho dedicado e que já desenvolveu várias atividades. Criamos, por exemplo, um website de apoio aos docentes com material didático digital (software) para introdução de noções básicas de estatística. Deste workshop, será elaborado um kit com atividades lúdicas de motivação aos alunos para que entrem no mundo da estatística de forma criativa e eficiente”, comentou.

No início do próximo ano, todas as ações já estarão sendo colocadas em prática nas escolas de acordo com a previsão de Louzada.

“Tudo se transforma em números e estatísticas que necessitamos entender para aplicar em nossas vidas, como um empréstimo no banco, os riscos de se contrair uma doença, a porcentagem que os municípios arrecadam em impostos e como os repassam, entre outros exemplos. Um país que não investe nesta formação pode sempre ficar à margem em conhecimento e inovações. Tão importante como saber ler e escrever é o aprendizado em Estatística”, finalizou o pesquisador.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

CeMEAI auxilia instituições chilenas para o desenvolvimento esportivo

Módulo de detecção de talentos esportivos foi entregue em reunião no início do mês

 

isports chile

 

No último dia 5 de outubro, uma reunião realizada em Santiago, no Chile, selou uma colaboração entre o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e duas instituições chilenas: o Centro de Estudios Avanzados de Fisiologia del Ejercicio (CEAFE) e o Departamento Deporte de Alto Rendimiento, do Instituto Nacional de Deportes.

O encontro foi marcado pela entrega do módulo iSports – Chile Children, derivado do iSports, que pretende disponibilizar aos treinadores e pesquisadores chilenos uma visão holística e individualizada dos estudantes chilenos para detectar talentos esportivos e obter alto desempenho dos atletas.

O sistema foi desenvolvido pelos pesquisadores Francisco Louzada Neto, coordenador de transferência de tecnologia do CeMEAI, Anderson Ara, aluno de pós-doutorado do CeMEAI, e Alexandre Maiorano, aluno de doutorado do Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Estatística (PIPGEs) da USP e da UFSCar.

“Desde que cheguei ao Chile, sonho em aplicar a estratégia Z para encontrar novos talentos. Quero seguir com este sonho”, afirma o brasileiro Josivaldo Souza Lima, pesquisador do CEAFE.

O doutor Aquiles Yáñes Silva, outro membro do CEAFE, também comemorou a parceria. “Agradeço a prestação e a excelente contribuição para este projeto, que deve ser realizado, em especial, porque é uma verdadeira contribuição para o desenvolvimento nesta área árida e complexa do conhecimento. Isso deve ter um grande impacto sobre diversos temas, como esportes, educação, saúde e políticas para atividades físicas e esportivas”, enaltece.

Louzada foi outro a frisar a importância da parceria. “Fiquei muito contente com a empolgação da equipe chilena. Percebi que, de fato, o módulo de acompanhamento das crianças chilenas que estamos desenvolvendo vai auxiliá-los de forma ímpar na identificação de possíveis talentos esportivos, o que pode culminar em um processo de investimento esportivo de precisão”, constata. ““Espero que, em um futuro próximo, possamos formalizar o relacionamento das equipes de pesquisadores brasileiros e chilenos, impulsionando a atuação internacional formal do CeMEAI”, finaliza.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 2