Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Comitê Internacional aponta progressos em áreas de atuação do CeMEAI

Qualidade e quantidade de colaborações industriais e publicações científicas são destaques 

 

 

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) recebeu nos dias 7 e 8 de novembro, em São Carlos, os professores Willian Meeker (Iowa State University), Wil Schilders (Eindhoven University of Technology) e João Fernando Gomes de Oliveira (Escola de Engenharia de São Carlos), membros do International Advisory Committee (lAC), responsável por acompanhar as atividades do Centro e apontar caminhos de desenvolvimento, por intermédio de um relatório que já foi concluído. Este acompanhamento ocorre a cada dois anos com a participação da diretoria e pesquisadores principais apresentando os resultados das pesquisas as ações e os projetos em andamento.

Segundo a análise dos especialistas neste relatório, o IAC apresentou um progresso impressionante desde a reunião de 2017, na qualidade e quantidade de colaborações industriais e publicações científicas.

Na  recente edição, a primeira parte dos trabalhos foi apresentada pelos coordenadores de cada área de atuação. Francisco Louzada Neto, falou sobre Transferência de Tecnologia e recebeu o seguinte retorno do comitê. “Uma visão geral impressionante das atividades de Transferência de Tecnologia foi apresentada no tocante às iniciativas e processos em desenvolvimento pelo CeMEAI. O número de empresas aumentou significativamente, resultando em considerável aumento de acordos industriais, projetos, financiamento e spin-offs”.

Foram apresentadas e bem avaliadas ainda as áreas de Educação e Difusão que tem como coordenador Lucio Tunes dos Santos, Mecânica dos Fluidos Computacional que teve apresentação de João Filgueiras de Azevedo, atual presidente do CNPq. “A área principal de CFD mantém seu alto nível de excelência no trabalho em aeronáutica e aeroespacial, e agora, com o novo projeto com a Petrobras. A interação com a sociedade parece aumentar e também com as outras áreas do CeMEAI, como aprendizado de máquina”, comentaram os membros do IAC.

Eles também analisaram as áreas de Otimização e Pesquisa Operacional apresentada por José Mario Martinez, Ciência de Dados, por Rodrigo Fernandes de Mello e Análise de Risco que foi explicada por Louzada.

Fabrício Simeoni de Sousa falou sobre as ações relacionadas ao Cluster Euler.  “A administração do cluster é uma referência para o Brasil. Eles estão monitorando constantemente a arquitetura do sistema para atender melhor os usuários. O uso da máquina é impressionante, com cerca de 200 usuários externos”, apontou o relatório.

No segundo período, parceiros do CeMEAI participaram da reunião falando sobre os projetos realizados de forma conjunta. Foi o caso de Edgar Zanotto que mostrou a participação da matemática do CeMEAI nas pesquisas do Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros (CERTEV) e falou sobre o projeto EduSCar com escolas públicas de São Carlos. O Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia de São Carlos, José Galizia Tundisi, falou das ações junto à Prefeitura Municipal. André Pierre Mattei e Márcio da Silva Arantes, pesquisadores do Senai Florianópolis, comentaram as parcerias com a Unidade Embrapii do SENAI/SC.

“Nós notamos melhorias drásticas em duas direções. Uma é que parece haver muito mais colaborações diretas, com projetos, ajudando a empresa e a sociedade com novas ferramentas e métodos matemáticos. A outra é que, enquanto desenvolvem esses projetos, eles fazem pesquisa em matemática e estatística, gerando novo conhecimento também. Os resultados têm sido divulgados como publicações e, assim, esse novo conhecimento fica disponível para que outras pessoas possam utilizá-lo também. Fiquei bem impressionado com isso”, comentou Willian Meeker.

O segundo dia de atividades foi dedicado às apresentações de grandes projetos e pesquisas de destaque. Tiago Pereira falou sobre os resultados no país e exterior de seu trabalho denominado Reconstruction of Complex Networks. Fabrício Sousa demonstrou o convênio com o Petrobras de métodos para simulação de reservatórios de petróleo. Francisco Louzada falou sobre os avanços de projetos na área de estatística e medicina. Alexandre Delbem expôs as descobertas na pesquisa que busca auxiliar no tratamento do zumbido de ouvido. E Luis Gustavo Nonato contou sobre o trabalho desenvolvido em parceria com o CEPID Centro para o Estudo da Violência que usa Ciência de Dados para auxiliar agentes de segurança e população.

“O sucesso do CeMEAI nesses projetos maiores está muito ligado à capacidade de se integrar com outras áreas e problemas das empresas que não só a matemática em si e, aumentar essa integração nos próximos anos, é uma de nossas sugestões do comitê consultivo”, disse João Fernando Gomes de Oliveira.

Ainda segundo ele, as conexões com outros grupos de pesquisa, empresas, governo e setores da sociedade merecem destaque no último ano. “Os recursos financeiros obtidos cresceram de maneira impressionante e estamos surpresos de como os pesquisadores conhecem os problemas da sociedade, essa visão realista envolve alunos e outros membros da academia. Houve um amadurecimento muito grande deste grupo de pesquisadores que estabelece pra si próprios a missão de produzir impacto e ajudar o setor empresarial. Cria-se um valor nesse grupo que é muito positivo, tem mérito e é raro em um ambiente universitário. É muito gratificante confirmar que o CeMEAI realmente coloca em prática as recomendações que fazemos, nos sentimos contribuindo e participando de todo desenvolvimento gerado”.

Wil Schilders, da Eindhoven University of Technology, também opinou. Segundo ele, nos próximos anos o CeMEAI poderia desenvolver novos projetos com pequenas e médias empresas que podem até desconhecer seus problemas matemáticos. “Muitas vezes, essas empresas não têm dinheiro para arcar com o projeto ou uma consultoria e o Centro poderia ajudar. Acho que existem muitas oportunidades. É necessário olhar para as oportunidades que necessitam de matemática para resolver os problemas, mas não para matemática já existente”.

Para José Alberto Cuminato, diretor do CeMEAI, a avaliação da reunião do IAC foi bem positiva. “Tivemos um retorno dos avaliadores sobre as atividades que vimos realizando e nos foram recomendadas na reunião anterior, em setembro de 2017. As reuniões do IAC por não serem avaliativas, mas consultivas, fornecem parâmetros para as atividades futuras do Cepid-CeMEAI e é também uma boa oportunidade para os participantes dos vários grupos inteirarem-se das atividades dos demais, promovendo a colaboração interna do Cepid. Desta feita, tivemos a participação de nossos colaboradores dos Cepids Certev e do NEV.  Na avaliação do IAC o CeMEAI está entregando o prometido e tivemos então uma oportunidade para traçar diretrizes para continuar nessa trilha”, finalizou.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Experiências com a indústria são compartilhadas no SIBGRAPI 2019

CeMEAI esteve representado no evento da Sociedade Brasileira de Computação

 

sibgrapi 2019

 

O SIBGRAPI, o SVR e o SBGames são eventos realizados pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) com o intuito de expandir as fronteiras do conhecimento nas ciências da computação, especialmente no que se refere à computação gráfica e processamento de imagens e também na área de games.

Na edição de 2019, que ocorreu no Rio de Janeiro, entre os dias 28 e 31 de outubro, o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) esteve representado pelos pesquisadores Antônio Castelo Filho, Leandro Franco de Souza e Afonso Paiva Neto do ICMC/USP e João Paulo Papa, da Unesp/Bauru.

Antonio Castelo Filho explica que o objetivo do workshop que reuniu 270 inscritos foi mostrar para o público do congresso trabalhos relacionados com a área de computação gráfica e processamento de imagens, previamente submetidos no qual foram selecionados os três melhores e também três palestrantes convidados para as sessões.

Juntamente com o Prof. Bruno Feijó (PUC- Rio), Castelo organizou o Workshop de Aplicações da Indústria (WIA) que tratou das contribuições que descrevem soluções baseadas em gráficos, padrões e imagens para problemas aplicados pela indústria.

Como palestrante convidado, Leandro participou de atividades relacionadas ao tema “CFD Applications in Industry”. Ele também falou sobre os objetivos e projetos do CeMEAI que acumulam resultados nas mais diversas áreas industriais.

leandro

O professor Leandro Franco de Souza apresentou o CeMEAI no evento

Afonso Paiva Neto participou da sessão de Geometria e Animação, com o tema “Boundary particle resampling for surface reconstruction in liquid animation”.

Ponto de encontro entre cientistas, acadêmicos, profissionais, estudantes e empresários interessados e participantes do setor há 32 anos, o congressos teve quatro dias de intensos debates, apresentação de trabalhos de pesquisa e networking para apresentar resultados dos trabalhos realizados nos últimos anos e buscar desenvolver a ciência no Brasil.

João Paulo Papa também participou como chair de um dos workshops temáticos e de uma sessão de artigos sobre processamento de imagens. “Também tivemos um artigo aceito para apresentação na área de segurança de trabalhadores industriais, em específico oficinas da Petrobras, pois possuímos um projeto em conjunto com eles nessa área”, explicou Papa.

“O evento é um dos mais tradicionais e importantes da área de computação gráfica, processamento de imagens e reconhecimento de padrões no Brasil, sendo um fórum bastante importante para divulgação científica. Como ex-membro do CEGRAPI (Comissão Especial de Computação Gráfica e Processamento de Imagens) da SBC (Sociedade Brasileira de Computação), participei de reuniões para tomada de decisões no que diz respeito ao avanço da área no Brasil”, disse.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Workshop debate formação do preço de energia elétrica

Evento ocorreu em Florianópolis e teve apoio do CeMEAI

 

IMG 7930  IMG 7984

 

O 1º Workshop on Computing Efficient Energy Prices reuniu, em Florianópolis (SC), especialistas do setor elétrico brasileiro para discutir o impacto dos diferentes mecanismos e metodologia destinados ao cálculo do preço horário da energia elétrica.

O Workshop, que contou com o apoio institucional do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e foi organizado pelo Laboratório de Planejamento de Sistemas de Energia Elétrica (LabPlan), da UFSC, Norus e Norte Energia, contou com a participação de 150 pessoas e dos pesquisadores especialistas nesta área, Claudia Sagastizábal e Paulo J. S. Silva (IMECC/Unicamp).

Paulo colaborou no bloco intitulado Definição do Preço em Modelos com Unit Commitment, ministrando uma palestra plenária sobre conceitos avançados de dualidade relacionados com a definição dos preços horários de energia.

Claudia esteve presente no Painel dedicado a Operação e os Desafios do Preço Horário, debatendo o tema com Mário Daher (Gerente Executivo da ONS), André Diniz (Chefe de Departamento do DEA no CEPEL) e Marcelo Loureiro (Diretor de Energia da ABIAPE).

Únicos representantes da Matemática no evento, Paulo e Claudia falaram sobre resultados do trabalho iniciado em 2018 para aproximar o CeMEAI dos problemas reais do setor elétrico brasileiro. “Tanto as apresentações, quanto as perguntas e discussões da plateia, ensejam a reflexão sobre a importância de continuar a fortalecer a colaboração entre a indústria da energia e o setor acadêmico”, observou Claudia.

“Poder participar do evento foi de fato um privilégio. Reuniões deste tipo apresentam oportunidades únicas para a matemática industrial, pois permitem interagir de modo direto com profissionais do mais alto nível do setor, que trabalham cotidianamente no problema de planejamento ótimo da geração de energia no país. As discussões e questionamentos levantados no workshop enriqueceram a nossa visão dos problemas de otimização a serem resolvidos e abriram vários interrogantes a nível de modelagem, com potencial de se tornarem linhas de pesquisa. Esperamos poder continuar a participar de encontros deste tipo no futuro”.

Ainda segundo a pesquisadora, os assuntos tratados no workshop em Florianópolis se apresentam como uma continuidade natural dos problemas de energia discutidos nas edições de 2018 e deste ano do Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, com apoio da Engie-Impact e do Cepel. “Estas considerações adquirem relevância particular em vista da entrada em operação do modelo DESSEM desenvolvido pelo Cepel, que será usado pelo ONS para definir a programação diária do sistema interligado nacional, a partir de janeiro de 2020”, finalizou Claudia.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira- Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Presidente do Consórcio Europeu de Matemática na Indústria palestrou em São Carlos

Adérito Araújo falou sobre a colaboração europeia em matemática industrial e aplicada

 

 

A convite de José Alberto Cuminato, diretor do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), Adérito Luís Martins Araújo, presidente do Consórcio Europeu de Matemática na Indústria (ECMI) esteve em São Carlos, na última sexta-feira (13), para a palestra Colaboração Europeia em Matemática Industrial e Aplicada.

“O ECMI é um consórcio de instituições acadêmicas e empresas industriais europeias que nos últimos anos esteve envolvido em inúmeros estudos e fóruns realizados internacionalmente, demonstrando que Modelagem, Simulação e Otimização são ferramentas para pesquisa e inovação e são chaves para alcançar uma vantagem competitiva e um catalisador para processos de inovação”, comentou Adérito.

O presidente do ECMI falou sobre a criação e dividiu experiências do Consórcio, bem como suas principais atividades e resultados obtidos na Europa.

Segundo ele, essa contribuição da matemática está longe de atingir seu auge e espera-se que os novos paradigmas relacionados à 4ª revolução industrial continuem a trazer oportunidades novas e desafiadoras. “Nesta apresentação, meu foco foi enfatizar a força única da matemática como ferramenta de transferência de tecnologia e discutir as estratégias do ECMI para os próximos anos”.

Adérito comentou ainda sobre vários relatórios apontando que o sucesso de um país está muito relacionado ao sucesso da matemática. “O impacto que a matemática tem nos países mais desenvolvidos é muito grande, no entanto, essa escala, muitas vezes, não parece visível porque quando olhamos para um produto tecnológico, por exemplo como um aparelho celular, não o imaginamos como um produto matemático ou seja, os algoritmos que fazem um celular funcionar são tão ou mais importantes para que aparelho seja bom do que o próprio software e nem sempre esses produtos são vistos como produto matemático. Na Europa, já estamos desenvolvendo um selo que queremos colocar em todos os produtos para que as pessoas percebam que aquilo é um produto matemático e tenham a consciência da sua importância”.

“O ECMI foi criado em 1985 e trabalha para difundir a utilização das Ciências Matemáticas no setor produtivo no âmbito dos países da comunidade europeia, contando portanto, com mais de 30 anos de experiência nessa atividade”, comentou José Alberto Cuminatto.

“O CeMEAI propugna pelos mesmos objetivos, sempre buscamos aprender com quem já tem uma larga vivência dessas atividades. O professor Adérito já foi vice-presidente por dois anos do ECMI e será presidente por três anos, dos quais dois já se foram. Sua visita muito nos honra pois nos permite aprender com as práticas do ECMI e também mostrar a ele o que o CeMEAI vem fazendo, podendo verificar in loco os avanços que temos feito, os projetos que temos para o futuro e onde o ECMI e CeMEAI podem colaborar para novos avanços”.

No Brasil para participar da CNMAC 2019, o presidente do ECMI disse ainda que a matemática brasileira é vista com grande potencialidade lá fora e que o CeMEAI segue os passos de grandes estruturas nacionais da Europa. “Podemos trabalhar em colaboração, temos duas publicações- como guias práticos, que podem contribuir e, de forma direta, podemos articular participações por intermédio de eventos do CeMEAI ou ECMI, como os Study Groups”, finalizou Adérito.

 

Sobre o ECMI

O Consórcio Europeu de Matemática na Indústria (ECMI) é um consórcio de instituições acadêmicas e empresas industriais que atua em cooperação com os objetivos de promover e apoiar o uso de modelagem matemática, simulação e otimização em qualquer atividade de importância social ou econômica. Educar matemáticos industriais para atender à crescente demanda por esses especialistas. Operar em escala europeia.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Semana de Imersão em Matemática recebe pesquisador do CeMEAI

Evento foi realizado pelo Projeto Multiplicando Talentos em Teresina (PI)

 

lucio piaui

 

Entre os dias 18 e 23 de agosto deste ano, a cidade de Teresina, no Piauí, foi o palco da Semana de Imersão em Matemática, evento do Projeto Multiplicando Talentos. A Semana reuniu alunos de escolas públicas do interior do estado e que tiveram boas pontuações na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

O evento incluiu aulas, palestras, atividades matemáticas e desafios e contou com a participação do professor Lúcio Tunes do Santos, do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da Unicamp e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

Lúcio apresentou as palestras "Problemas de (Quase) Um Milhão de Dólares" e "Balbúrdias Matemáticas", além da oficina "Planolândia", aos estudantes convidados, que são alunos piauienses com medalhas ou menções honrosas na edição de 2018 da OBMEP e classificados para a fase final da competição, em 2019.

“Reunir alunos medalhistas da OBMEP, de várias regiões do estado do Piauí, e realizar diferentes atividades durante uma semana é uma oportunidade única para vários estudantes de almejar um futuro mais promissor, abrindo a possibilidade de continuar seus estudos em nível superior tendo o suporte financeiro de uma bolsa de iniciação científica”, vislumbra Lúcio.

As atividades foram realizadas no Centro de Treinamento da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Piauí (Fetag-PI), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI).

"Foi muito gratificante e emocionante participar desse evento, não só pelo fato de poder falar sobre Matemática para uma platéia interessada e motivada, mas também por conhecer uma outra realidade, em uma região distante do eixo Rio-São Paulo”, finaliza o professor.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin – Comunicação CeMEAI

Com informações da Assessoria de Imprensa da FAPEPI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisador do CeMEAI coordena curso de Análise de Redes Sociais

Capacitação ocorrerá no ICMC de 21 a 26 de outubro e inscrições estão abertas

 

soong

Divulgação/YouTube UCLEngineering

 

Interessados em ampliar os conhecimentos em Análise de Redes Sociais terão a oportunidade de participar de um curso no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos, que ocorrerá entre 21 e 26 de outubro com coordenação de André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, ministrado por Soong Moon Kang, da School of Management da University College London. As aulas serão ministradas em português e no período noturno.

Ao final do curso os alunos compreenderão as principais ferramentas e conceitos para analisar redes sociais, questões relacionadas à coleta e análise de dados e poderão identificar e discutir questões teóricas e metodológicas associadas às pesquisas em redes sociais.

“Esta é uma área de pesquisa muito atual e relevante, que tem atraído um interesse crescente. Embora o tema de Análise de Redes Sociais se aplique a um grande número de áreas, são raras as ofertas de cursos e disciplinas neste tema. O ministrante é um importante pesquisador da área, tendo já ministrado esse curso várias vezes”, comentou André.

As inscrições para o curso começaram no dia 1 de setembro e vão até o dia 15 de outubro ou enquanto houver vaga. São 40 no total.

As informações completas podem ser conferidas na página do evento.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Curso ensina técnicas para operar no mercado de ações

Atividades reuniram aulas teóricas e práticas durante três tardes

 

 

Com apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), o curso Lucrando no Mercado de Ações foi promovido entre os dias 19 e 21 de agosto na USP São Carlos- Campus II, reunindo 120 interessados em aprender técnicas para operar no mercado de ações e de opções, incluindo a aplicação de sistemas computacionais no processo de automatização.

A programação incluiu aulas teóricas e práticas e foi dividida em três tardes de atividades. No primeiro dia, Introdução à Análise Técnica, com o trader profissional e analista técnico André Machado, conhecido como Ogro de Wall St.

Graduado em Computação, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/São Paulo), iniciou suas atividades nos anos 90, quando trabalhou na Microsoft e teve um projeto premiado e reconhecido mundialmente. “Eu comecei a operar no mercado com o dinheiro deste prêmio e depois, trabalhei em grandes empresas da área, até que comecei a dar aulas e ser trader profissional”, explicou.

“A base desse curso é a análise do comportamento do preço para ter ideia da oferta e demanda. Demonstramos, na prática, como acompanhar o mercado para decidir a hora de comprar ou vender e a hora de não fazer nada, que é a maior parte do tempo”, comentou.

“No Brasil, foram 50 anos de inflação galopante, não havia muito estímulo para se operar ações, o que eu mostro nesse curso é que não existe fantasia de ficar rico de uma hora para outra, é preciso ir atrás de muito conhecimento em livros. Uso técnicas desenvolvidas no final do século XIX, nos Estados Unidos e até do século VII, no Japão. Precisamos de um tempo de experiência nessa área, a análise técnica começou a se popularizar somente nos anos 2000 aqui no país e existe a necessidade de se formar grupos de profissionais de respeito em instituições financeiras para dar respaldo a essa técnica”.

Também ministraram o curso professor Geraldo Nunes Silva, do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE) da UNESP/São José do Rio Preto, José Carlos de Castro Waeny Junior e Antônio Dantas Sobrinho, conhecido como professor Metafix. A coordenação foi feita pelos professores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) Alexandre Cláudio Botazzo Delbem e Vanderlei Bonato.

Segundo Vanderlei Bonato, o curso dá continuidade ao Workshop on Applied Finance, que contou com seis edições.

“É uma continuação do workshop, agora em formato de curso. Já tivemos oficinas dentro do workshop, mas o curso tem uma visão mais prática para que os conhecimentos sejam aplicados no dia-a-dia. Reunimos pessoas experientes para ministrar o curso que foi aberto a toda comunidade e oferecido gratuitamente. É um ponto inicial para que os participantes possam se aprofundar mais nessa linguagem utilizada no mercado de renda variável”, observou Vanderlei Bonato.

A aluna do décimo semestre de Física Computacional na USP/São Carlos Nathalia Satie Gomazako participou do curso por ter afinidade com programação. “Eu gostei muito, foi uma excelente oportunidade e pretendo utilizar os conhecimentos na parte de machine learning em finanças”, comentou.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Workshop “O Cientista do Século XXI” é um sucesso e será itinerante

1ª edição do evento reuniu grandes nomes da Ciência no IMECC, em Campinas

 

Nos dias 15 e 16 de agosto, o Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da Unicamp sediou o Workshop "O Cientista do Século XXI", que teve como principal objetivo discutir o papel do cientista brasileiro frente às grandes mudanças atuais. A primeira edição do evento foi um sucesso e ele será itinerante. No segundo semestre de 2020, ocorrerá na Universidade Federal do Ceará.

O evento conta com o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e foi organizado pela Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC), por intermédio de seu presidente, o professor do IMECC e pesquisador do CeMEAI, Carlile Lavor.

Assista ao vídeo e veja como foi o evento:

 

Workshop “O Cientista do Século XXI” é um sucesso e será itinerante

O Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica recebeu, nos dias 15 e 16 de agosto, a primeira edição do workshop "O Cientista do Século XXI". Veja como foi o evento:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Workshop reúne especialistas em simulações para reservatórios de petróleo

Evento faz parte de colaboração entre CeMEAI e Petrobras

 

workshop petrobras

 

Nesta semana, pesquisadores de várias instituições se reuniram no workshop “Métodos multiescala para simulação numérica de reservatórios de petróleo” para apresentarem a evolução dos trabalhos que têm desenvolvido na área.

O evento é anual e foi realizado entre terça e quarta-feira no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos. As atividades fazem parte de um convênio entre o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e a Petrobras.

O convênio é voltado para o desenvolvimento de novos métodos computacionais para a simulação da produção de petróleo nos campos do pré-sal brasileiro. "Inicialmente, o projeto tinha como objetivo resolver problemas com grande número de células. No caso do pré-sal brasileiro, é necessário estar preparado para enfrentar problemas com alguns bilhões de células. Agora, já estamos caminhando para um outro projeto, em que o desafio é aplicar as técnicas que foram desenvolvidas nos reservatórios do pré-sal que têm formações muito complexas, como túneis, por onde os fluidos transitam, e nesses casos a modelagem usual de reservatórios de petróleo e escoamento dos fluidos não se aplica", explica Luis Felipe Feres Pereira, professor da UT Dallas.

Os dois dias de evento somaram 13 apresentações, que incluíram membros da USP, da UNICAMP, do CENPES/Petrobras e do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC). 

"Esses projetos são de grande importância para nós. Os trabalhos apresentados aqui são excelentes, de alto nível, e atacam problemas reais da indústria. Estamos entrando no projeto porque estão surgindo novas demandas da Petrobras e vamos unir o conhecimento do LNCC com os das outras instituições para resolver esse problema mais específico" comenta Marcio Borges, pesquisador do LNCC.

“O evento foi muito produtivo. Foram dois dias de apresentações que foram muito bem recebidas pelo pessoal da Petrobras e provavelmente vamos firmar um acordo de renovação para esse projeto”, completa Fabrício Simeoni de Sousa, pesquisador do CeMEAI e coordenador do projeto. Além dele, representaram o Centro os pesquisadores Gustavo Buscaglia e Roberto Ausas.

“Durante esse período inicial de colaboração, os pesquisadores conseguiram resultados expressivos em relação a desempenho de simulação utilizando os métodos que eles desenvolveram. A ideia é desenvolver ainda mais essas técnicas para atender esse desafio da companhia. Estamos discutindo a renovação do projeto num escopo onde identificamos que o grupo é capacitado e competente para atender a nossa demanda”, finaliza Rafael Moraes, Engenheiro de Reservatórios da Petrobras.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Divulgados os títulos das palestras do workshop “O Cientista do Século XXI”

Evento ocorrerá no IMECC/Unicamp em 15 e 16 de agosto com principais nomes da Ciência

 

imecc 2

 

Os organizadores do workshop “O Cientista do Século XXI”, que ocorrerá nos dias 15 e 16 de agosto, no IMECC/Unicamp/Campinas, divulgaram os títulos e resumos das palestras que serão ministradas pelos principais nomes da Ciência do Brasil e do exterior.

Desafios para a Ciência Brasileira no Século XXI, Inovando na Matemática e suas Aplicações no Brasil, Reflexões de uma Matemática Industrial, Como a Matemática e a Inteligência Artificial se influenciam mutuamente são alguns dos temas que serão debatidos pelos especialistas de Instituições como USP, Serrapilheira, Fapesp, Unicamp, entre outras.

Com apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), o evento contará com participação de alguns de seus pesquisadores. João de Azevedo, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) falará sobre Uma Perspectiva sobre a Formação de Pesquisadores e o Fomento da Pós-Graduação.

Já o diretor, José Alberto Cuminato ministrará palestra sobre As Ciências Matemáticas: contribuição para o desenvolvimento tecnológico.

A organização é do também pesquisador do CeMEAI e professor do IMECC/Unicamp Carlile Lavor.

Confira a programação completa, com os palestrantes, títulos e resumos das apresentações acessando a página oficial do evento, que tem como principal objetivo discutir o papel do cientista brasileiro frente às grandes mudanças atuais.

Podem participar alunos, docentes, pesquisadores e interessados no tema.

A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas neste formulário. Mais informações podem ser obtidas no site do IMECC.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 19