ptzh-CNenfrdeitjarues
uol

 

O Brasil mal começou a reduzir a segunda onda de infecções pelo novo coronavírus e já pode estar às vésperas de ser inundado por uma terceira onda, ainda mais letal, com a chegada do inverno, o ritmo lento de vacinação e o afrouxamento da quarentena, dizem especialistas ouvidos pelo UOL.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

bol

 

Pela primeira vez em dois meses, a taxa de contágio (Rt) do novo coronavírus ultrapassou o teto em todo o Brasil, segundo dados da Info Tracker, organizada pelas universidades estaduais Unesp e USP e que monitora a pandemia. Os pesquisadores consideram como teto o índice 1, quando cada pessoa pode contaminar uma outra. Se for maior do que 1, cada doente poderá contaminar mais de uma pessoa.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

uol

 

Pela primeira vez em dois meses, a taxa de contágio (Rt) do novo coronavírus ultrapassou o teto em todo o Brasil, segundo dados da Info Tracker, organizada pelas universidades estaduais Unesp e USP e que monitora a pandemia. Os pesquisadores consideram como teto o índice 1, quando cada pessoa pode contaminar uma outra. Se for maior do que 1, cada doente poderá contaminar mais de uma pessoa.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

terra

 

Dados da plataforma Info Tracker, abastecida diariamente por pesquisadores da USP de São Carlos e da Unesp, mostram que a velocidade atual de transmissão do coronavírus no Estado de São Paulo é semelhante à do início da segunda onda de covid-19. Nesta quinta-feira, 27, a taxa média era de 1,17, ou seja, cada 100 pessoas infectadas podem contaminar outras 117. Em 14 de dezembro, a taxa era de 1,25. A alta transmissão, na época, levou a um aumento assustador no número de casos no início de 2021, causando colapso no sistema de saúde em muitas regiões do País.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

bol

 

A curva do número de pessoas mortas de covid-19 saiu da estabilidade e voltou a crescer no estado de São Paulo. Desde o começo de abril, a média móvel de óbitos —calculada com base nos sete dias anteriores— vinha em estabilidade. Na penúltima semana de maio, a curva mudou de tendência, voltou a subir e registrou um aumento de 9% nas mortes em relação à semana anterior.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

folha

 

Dados do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) contabilizados e analisados pela plataforma SP Covid-19 Info Tracker, mostram que nos meses de março e abril de 2021, foram registradas no país 23.411 novas internações de crianças por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), com confirmação ou suspeita de Covid-19.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

uol

 

Há um ano, o governo brasileiro limitou o acesso aos dados sobre a covid-19. Primeiro mudou-se o horário de divulgação dos boletins para atrapalhar os jornais noturnos, depois caiu a quantidade e a qualidade dos dados fornecidos. A ação culminou na criação do consórcio de veículos de imprensa. Mas os dados da doença continuam sendo uma barreira para jornalistas e pesquisadores.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

uol

 

Apesar do aparecimento de novas cepas do coronavírus e do risco de o país entrar em outra onda de contaminações, o Brasil aplicou poucos testes em sua população em comparação com outros países do mundo. Além de ajudar a controlar a pandemia, a testagem em massa oferece aos laboratórios o material genético necessário para sequenciar o vírus em busca de novas variantes.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

Como a matemática está auxiliando rede de municípios na pandemia

Info Tracker é utilizado pelo poder público como apoio de gestão

 

info tracker

 

Em um momento em que todos buscam respostas para entender e minimizar os efeitos da pandemia da COVID-19, a união de esforços nunca foi tão relevante, especialmente no mundo acadêmico. Descobertas têm sido partilhadas em tempo recorde na intenção de frear os impactos para a população e salvar vidas.

O sistema Info Tracker - desenvolvido com o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI - CEPID FAPESP), permite monitorar o avanço da doença e utiliza matemática e inteligência artificial para projetar o número de infectados, mortes, pacientes recuperados, entre outros dados no Estado de São Paulo e Brasil.

Trata-se de uma referência para consultas e tomadas de decisão que está auxiliando também a Rede Nacional de Consórcios Públicos dos Municípios, que agrega mais de 2 mil cidades brasileiras.

O presidente, Victor Ivo Borges, comentou a parceria. “A plataforma digital auxilia sobremaneira nas produções de informações aos gestores para tomada de decisão frente à pandemia”.

victor borges

Victor Ivo Borges, presidente da rede de municípios

O Info Tracker foi criado em junho de 2020 por cinco matemáticos e cientistas da computação, entre eles, o matemático e cientista de dados Wallace Correa de Oliveira Casaca, docente da Unesp/Rosana e pesquisador do CeMEAI.  Wallace conta que a equipe tem sido procurada por gestores interlocutores de diversas cidades do estado como Limeira, Barretos e Presidente Prudente, em busca de apoio para interpretar dados e compreender melhor a situação epidemiológica. “O contato com a Rede Nacional, por intermédio do seu presidente, o Victor, amplia a possibilidade de trazer a outros municípios parâmetros matemáticos capazes de observar a realidade em cada cidade e prover aos seus gestores os números sobre o comportamento diário da crise e necessidade de ações de curto e longo prazo”, explica.

Victor observa que os modelos matemáticos preditivos fortalecem o planejamento e a estratégia. “Os modelos indicam as tendências diante dos comportamentos e da dinâmica da doença. Saúde e Matemática andando juntas. O Professor Wallace e toda equipe são peças chaves neste contexto”.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Sobre o RNCP

A Rede Nacional de Consórcios Públicos fomenta e articula políticas públicas em favor os Consórcios Públicos em todos os Estados da Federação. A articulação se dá com os entes dos governos municipais, Estaduais e Federal. A Rede defende a solução Consorciada para várias gestões como nas áreas de saúde, saneamento, meio ambiente, desenvolvimento regional, tributária e outras.

 

Raquel Vieira – Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Artigo publicado no Sensors apresenta novas formas de predizer a pandemia

Trabalho dos autores do Info Tracker combina dados e projeções, incluindo perspectiva de vacinação

 

sp 2

Regiões do estado de São Paulo (a) e da região metropolitana (b) foram divididas para combater a pandemia

 

Desde o início da pandemia, pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) unem esforços para contribuir no controle da Covid-19. Um dos modelos de maior repercussão foi a ferramenta Info Tracker, que monitora o avanço da doença e utiliza matemática e inteligência artificial para projetar o número de infecções, óbitos e pacientes recuperados no estado de São Paulo e demais regiões do Brasil.

A plataforma que está orientando jornalistas, profissionais da área de saúde, órgãos governamentais, entre outros, tem passado por constantes evoluções e originou uma recente publicação no periódico Sensors. Denominado Towards Providing Effective Data-Driven Responses to Predict the Covid-19 in São Paulo and Brazil e desenvolvido em colaboração pelo cientista da computação, Fabio Amaral (Unesp/Presidente Prudente), pelos pesquisadores Wallace Casaca (Unesp/Rosana), Cassio Oishi (Unesp/Presidente Prudente) e pelo diretor do CeMEAI, José Alberto Cuminato (USP/São Carlos), o artigo é mais uma contribuição matemática online de acesso gratuito envolvendo a coleta e exploração de dados de séries temporais da Covid-19.

“Este trabalho apresenta uma ferramenta computacional que combina dados atualizados da Covid-19 para gerar projeções dos novos casos de infectados e óbitos, além da taxa de transmissão do vírus por região do estado de São Paulo e do Brasil. A plataforma computacional, que está disponível ao público em www.spcovid.net.br, pode ser utilizada para nortear as ações do poder público como, por exemplo, o gerenciamento hospitalar, no contexto das ocupações em enfermarias e UTIs. Vale destacar ainda que, de acordo com os resultados do artigo, a metodologia também apresentou resultados robustos para as projeções das demais regiões do Brasil, além de outros países como Portugal, Itália e Ucrânia. É importante pontuar também que o modelo pode ser estendido com a incorporação dos efeitos da vacinação na redução da taxa de contágio, fornecendo assim mais informações à população sobre o controle da pandemia”, explicou Cássio Oishi.

Wallace Casaca conta que o artigo propõe um novo método baseado em dados de previsão, combinando o modelo epidemiológico matemático chamado Susceptível-Infeccioso-Recuperado-Falecido com técnicas de Inteligência Artificial para melhor ajustar os parâmetros do modelo a fim de prever infecções, recuperações, mortes e reprodução viral. “Mostramos neste artigo que o preditor obtido a partir da nossa metodologia é capaz de lidar com amostras de dados mal comportadas ao mesmo tempo em que fornece previsões acuradas para os próximos 10 dias futuros”, disse.

“A publicação traz contribuições importantes como o uso da Inteligência Computacional como estratégia de customização de modelos epidemiológicos estritamente matemáticos, o que torna viável a obtenção de predições mais acuradas e compatíveis com a realidade de cada região do estado e do país, respeitando a dinâmica de contágio e evolução da pandemia nessas regiões. Outro avanço explorado no trabalho foi a criação de um mecanismo sensível à identificação de amostras mal condicionadas nos dados, as quais poderiam refletir algum represamento ou possíveis atrasos na atualização dos dados”.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira – Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Página 2 de 11