ptzh-CNenfrdeitjarues

Evento no ICMC contempla vencedores de concurso para beacons

Equipes receberam os prêmios na última quarta-feira

 

O evento de premiação do Be an Icon, concurso que promoveu o desenvolvimento de aplicações para beacons, foi realizado ontem à tarde no Icmc Usp. Veja como foi: https://goo.gl/VWTOJE

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quinta, 27 de abril de 2017

 

Foram seis meses de espera. As três equipes que conseguiram passar por todas as fases do concurso Be an Icon, que começou em outubro do ano passado e terminou oficialmente na tarde da última quarta-feira (26), foram premiadas pelos trabalhos desenvolvidos.

A ideia do concurso era promover o desenvolvimento de softwares relacionados aos beacons. “O beacon é parecido com um tag que você pode utilizar para sinalizar coisas quaisquer, como um produto numa prateleira ou uma estátua num museu. Ele é transmitido como se fosse um sinal wi-fi ou bluetooth”, esclarece o professor Edson Moreira, pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), organizador do evento e professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos.

O hall da biblioteca do ICMC foi o local escolhido para o anúncio dos prêmios: uma visita a uma empresa, uma quantia em dinheiro e um kit fornecido pela AnimallTag, empresa de soluções tecnológicas para o agronegócio. A equipe campeã do concurso teve a ideia de aplicar beacons identificadores em malas. “Como a gente sabe e os dados mostram, bagagens são extraviadas constantemente e isso causa um custo bem alto. A ideia do projeto foi desenvolver um sistema que conseguisse, de alguma forma, diminuir essa quantidade de malas extraviadas”, conta Guilherme Caixeta de Oliveira, aluno do ICMC e da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), também da USP, e membro da equipe.

O segundo lugar ficou com o grupo representado pela aluna Ariella Brambila, do ICMC. Os integrantes criaram um aplicativo que facilita as compras no mercado. “Temos uma base de dados com todos os produtos do supermercado e você inclui na sua lista o que você está precisando. A partir disso, toda vez que você vai ao mercado, você seleciona a lista que você está utilizando e, ao passar pelo produto no corredor, ele te envia uma notificação dizendo que o produto está na lista e você deve pegar”, explica Ariella.

As rotas dos ônibus foram o foco do trabalho do grupo que ficou com o terceiro lugar. “O propósito do sistema é identificar os horários que o ônibus passa nos pontos. Com isso, a gente consegue dar para a empresa os dados de quais horários os ônibus passaram em todos os pontos, e, para o usuário, qual foi o último horário que o ônibus dele passou e quando ele vai passar”, diz Guilherme Prearo, aluno do ICMC e da EESC.

“Nós tínhamos uma expectativa muito alta com o concurso e os grupos conseguiram superar. Eles conseguiram fazer protótipos bem funcionais, que dá pra mostrar pra empresas, e esses protótipos têm grande potencial de virar produto”, comemora Ana Elisa Siena, gestora de projetos da Siena Idea.

Apesar de organizar o evento, a Siena Idea não foi a única empresa presente na premiação. “Aqui no Brasil, a gente tem uma cultura, que já vem de muito tempo, que manteve a universidade e a empresa um pouco distantes, diferente de outros lugares. E a gente percebe que isso está mudando”, celebra Maximiliano Marques, CEO da Muve Digital, empresa de desenvolvimento de jogos.

A indústria de eletrônicos Compal também esteve representada. “É um evento muito interessante porque a gente está observando na prática os alunos aprendendo alguma coisa e apresentando soluções inteligentes para solucionar casos e necessidades do dia-a-dia”, comenta Mário Ferreira Filho, gerente de pesquisa e desenvolvimento da empresa. 

Quem também marcou presença no evento foi a AnimallTag. “Eu acredito que a sinergia entre a AnimallTag e o CeMEAI é importante para trazer um pouco da academia para dentro da empresa. Todo o nosso desenvolvimento é feito com alunos aqui da USP. Acho que, quanto mais próxima a empresa estiver do Centro, é mais interessante para aprendermos e ensinarmos a todos os alunos aqui da USP”, salienta João Fernando Camargo, coordenador de desenvolvimento da companhia.

Por fim, o professor Joaquim Pessoa Filho, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, também elogiou o evento. “Na universidade, faço parte de um projeto em colaboração com a Apple e lá nós treinamos os alunos para criarem seus negócios, seus aplicativos. Fico muito animado quando vejo um jovem empreendendo, tendo ideias e colocando a mão na massa. Achei muito interessante ver os protótipos, ver tudo isso funcionando”, finaliza.

Além das empresas, que podem investir nos alunos e nos produtos, o CeMEAI também tem a iniciativa de dar suporte aos estudantes e apoiar os projetos com potencial.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Feira de Produtos aproxima estudantes e empresas

Evento foi realizado no ICMC da USP em São Carlos

 

Na última sexta-feira, o Icmc Usp e o CEPID - CeMEAI promoveram a edição de 2016 da Feirinha de Produtos, iniciativa que aproxima estudantes dos problemas reais de empresas. Veja como foi: https://goo.gl/Ezrs3z

Publicado por CEPID - CeMEAI em Segunda, 12 de dezembro de 2016

 

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) organizaram, na última sexta-feira, o estágio final da iniciativa Projeto como Produto: a Feirinha de Produtos.

O PcP é uma ideia do professor Edson Moreira, do ICMC, que também é pesquisador do CeMEAI. A ideia é convidar empresas para apresentarem problemas reais a alunos da disciplina de Tópicos Avançados em Comunicação. O dia da apresentação marca a Feirinha de Problemas. Durante o semestre, os alunos têm alguns checkpoints (reuniões para avaliar o andamento do estudo do problema) e o fim da disciplina é marcado pela Feirinha de Produtos, na qual os alunos apresentam as soluções. O PcP é o processo completo, desde a primeira reunião com as empresas até a apresentação dos resultados.

Nesta edição, os 14 grupos da feirinha se dividiram em quatro áreas: shoppings e recomendações, transporte e infraestrutura, tecnologia educacional e para eventos e suporte à agricultura. Um dos grupos criou um aplicativo para aproximar os pequenos produtores das pessoas com intolerância à lactose ou que buscam produtos orgânicos. “A gente criou um aplicativo com um sistema de chat e outro sistema para marcar os endereços dos produtores. Quem tem interesse pode ir até lá e verificar os produtos por si só”, explica Henrique Freitas, aluno de Ciências da Computação.

Um dos grupos contava com um estudante que também é empresário. Bruno Fabbri é sócio da Isybuy, empresa que produz aplicativos que facilitam pedidos e pagamentos de consumidores nos estabelecimentos. “O problema que trouxemos para a Feirinha foi a criação de um sistema que possibilite que os estabelecimentos saibam quando determinada pessoa está perto dele e enviem uma promoção, por exemplo”, explica.

Outra empresa participante foi a Siena Idea, que compareceu a três das sete edições da Feirinha de Produtos. Segundo Ana Elisa Siena, gestora de projetos da empresa, os resultados são sempre satisfatórios. “A gente sempre traz os problemas que a gente tem dentro do escritório para cá, para ver se o pessoal pensa diferente, fora da caixa. Às vezes, os problemas não são tão complexos como a gente pensa, e o pessoal em geral traz soluções muito interessantes”, comemora.

Para o professor Edson, nem só as empresas, que têm os problemas resolvidos, são beneficiadas pela iniciativa. “O grande ganho é a motivação que os alunos têm em resolver um problema real. Nem todos os alunos escolheram resolver um desafio de empresa. Alguns criaram seus próprios desafios. Eles têm ideias de preencher um nicho que eles mesmos estão propondo, e esse lado criativo é bem legal”, finaliza.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Alunos voltam a apresentar protótipos em Feirinha de Produtos

Evento será realizado na sexta-feira, 09, no Hall da Biblioteca do ICMC

IMG 3339

 

O hall da Biblioteca do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC/USP) receberá na próxima sexta-feira, 09, mais uma edição da Feirinha de Produtos. A atividade faz parte da iniciativa “Projeto como Produto (PcP)”, ligada ao conteúdo da disciplina Tópicos Avançados em Comunicação.

Nesta edição, cerca de 70 alunos se dividirão em grupos para apresentar soluções para problemas reais das empresas Siena, IsyBuy, Badabin e Embrapa. Os temas pesquisados e que terão protótipos apresentados estão relacionados principalmente com aplicações na indústria leiteira, na educação, localização e comunicações.

A Feirinha de Produtos terá início às 14 horas e é aberta ao público, das 15 às 17h.

 

Serviço:

Quando: sexta-feira, 09 de dezembro

Onde: Hall da Biblioteca do ICMC

Horário: das 14h às 17h

Aberto ao público das 15h às 17h

Confira os classificados para a segunda fase do Be an Icon

Equipes devem mandar propostas detalhadas até fevereiro

 

beanicon 2a fase

 

Cinco equipes se classificaram para a segunda fase do concurso Be an Icon, iniciativa do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) em parceria com a Siena Idea. O concurso estimula a criação de aplicações com a tecnologia dos beacons - pequenos dispositivos físicos que emitem curtos pacotes de dados bluetooth com certa frequência e raio de alcance programáveis.

As inscrições foram abertas no mês de outubro e, na última semana, os organizadores definiram as cinco equipes que podem buscar uma premiação – três delas serão contempladas com um incentivo e suporte da Siena Idea para possível abertura de empresa.

As equipes classificadas têm até o dia 24 de fevereiro de 2017 para entregarem as propostas detalhadas de seus projetos. A análise final será feita no mês seguinte e a premiação está prevista para o dia 24 de março. Mais informações estão disponíveis no site do concurso.

Confira as equipes classificadas para a segunda fase do concurso:

 

Nome do Projeto: Sistema de rastreamento em tempo real de bagagens para transporte aéreo

Responsável pelo grupo: Guilherme Andriotti Momesso

Descrição do Projeto: Nossa proposta envolve o desenvolvimento de um sistema de rastreamento em tempo real de bagagens para transporte aéreo, de forma que o passageiro e a empresa aérea poderão ter acompanhamento total informatizado das bagagens em transito.

 

Nome do Projeto: Go Shop

Responsável pelo grupo: Ariella Yamada Brambila

Descrição do Projeto: O projeto consiste na ideia da utilização de um aplicativo para smartphones onde seja possível criar listas de compras de supermercado. O usuário insere em sua lista diversos produtos e, assim, quando decidir ir às compras, o aplicativo irá emitir notificações (por vibração do aparelho, emissão de um breve som ou outra ideia que viermos a ter) conforme o usuário se aproxima de um determinado produto presente em sua lista, lembrando-o de apanhá-lo.

 

Nome do Projeto: SiMO – Sistema de Monitoramento de Ônibus

Responsável pelo grupo: Guilherme Prearo

Descrição do Projeto: A ideia é implementar um sistema de monitoramento, usando beacons, que atue no setor de transporte coletivo recolhendo dados sobre a circulação de ônibus e demanda de passageiros nos pontos de ônibus e também oferecer informações relevantes aos passageiros sobre as rotas de ônibus e horários de chegada e saída naquele ponto.

 

Nome do Projeto: h4 hands

Responsável pelo grupo: Nuno Bernardes Barcellos

Descrição do Projeto: O problema que buscamos solucionar é a falta de um bom sistema de monitoramento sobre quem lava as mãos. Os métodos existentes hoje se baseiam em tabelas de controle e incentivo aos funcionários. A ideia é criar uma central embarcada, que será instalada nas pias, distribuir crachás com beacons para os funcionários e sincronizar as informações coletadas com um website.

 

Nome do Projeto: SmartGuide

Responsável pelo grupo: Rafael Farah

Descrição do Projeto: SmartGuide é uma guia automático destinado a auxiliar pessoas com deficiência visual a terem uma experiência mais completa em ambientes culturais, como museus e exposições. A ideia é, por meio de pequenas modificações no ambiente, proporcionar uma melhor experiência para o usuário, bem como trazer uma maior liberdade de movimentação pelo ambiente, dispensando o uso de rotas específicas e/ou exclusivas.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Sobre a Siena Idea

A Siena Idea é um agente de inovação localizado em São Carlos, cujo objetivo é transformar o conhecimento novo gerado nas universidades de São Carlos em algo de valor para o mercado. E o inverso também: trazer problemas complexos e relevantes do mercado para serem pesquisados pela academia.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Aplicações para beacons

Aplicações para beacons

Notícias Relacionadas

Pesquisadores

Edson Moreira

Ainda não é comum nas ruas ou estradas, mas a comunicação entre carros e entre os carros e a infraestrutura viária não demora a chegar. Muitas montadoras já tem lançado a tecnologia V2V - Vehicle to Vehicle - na fabricação de alguns automóveis.

Um recurso de emissão de sinais de rádio, semelhantes ao wi-fi, que poderá propiciar a troca de informações entre carros e com a infraestrutura da estrada. E que poderá propiciar ainda modelos novos de negócios envolvendo a geração de serviços e propagandas nas estradas. Este é o principal foco de uma pesquisa coordenada pelo professor Edson Moreira e que tem apoio da FAPESP - por intermédio do CEPID-CeMEAI.

Pesquisa propõe novos modelos de negócios em rodovias

Comunicação entre veículos é simulada com tecnologia semelhante ao wi-fi

 

Carros conversando entre si? Veículos que se comunicam com a rodovia? Isso ainda não é comum, mas a tecnologia já existe. E pode ser utilizada até para criar novos modelos de negócio. Entenda:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quinta, 20 de outubro de 2016

 

Ainda não é comum nas ruas ou estradas, mas a comunicação entre carros e entre os carros e a infraestrutura viária não demora a chegar.

Muitas montadoras já tem lançado a tecnologia V2V - Vehicle to Vehicle -  na fabricação de alguns automóveis. Um recurso de emissão de sinais de rádio, semelhantes ao wi-fi, que poderá propiciar a troca de informações entre carros e com a infraestrutura da estrada.

E que poderá propiciar ainda modelos novos de negócios envolvendo a geração de serviços e propagandas nas estradas. O principal foco de uma pesquisa coordenada pelo professor Edson Moreira e que tem apoio da FAPESP - por intermédio do CEPID-CeMEAI.

Segundo o pesquisador, a ideia é substituir propagandas em painéis, cartazes ou outdoors por sinais eletrônicos em pequenos pacotes de dados, parecidos com os pacotes de wi- fi que podem ser recebidos pelos carros quando passam próximos a alguns estabelecimentos, nas praças de pedágios, ou alguma antena especialmente colocadas ao longo das estradas para que sejam então transferidos para outros carros fazendo o marketing de postos, de hotéis, restaurantes e de outros ramos de negócios.

“Nós criamos protocolos de comunicação, através de um mecanismo chamado beacon que é difundido e divulgado como se fosse uma sirene no carro e esse pacote não precisa usar a internet”, explica.

Edson comentou ainda como a matemática auxilia na pesquisa. “Todo o nosso trabalho é simulado; é muito difícil você construir um dispositivo, colocar esse dispositivo em carros, sem ter noção de como vai ser o resultado deles. E tentar gerar a quantidade de dados suficientes para você conseguir dizer se está bom ou não. Em um determinado momento, o carro estará em determinada posição, e vai encontrar carros que irão passar por ele em velocidades diferentes, acelerações diferentes, sentidos diferentes, isso tudo é feito matematicamente. A quantidade de dados gerados é muito grande e dificilmente o trabalho teria o mesmo sucesso sem os computadores e estrutura proporcionada pelo CeMEAI”, disse.

Para encerrar, Edson lembrou que os interessados nesses resultados são, por exemplo, as concessionárias de rodovias, as entidades reguladoras de transporte, os próprios usuários e as empresas fabricantes de carros, bem como os negócios que rodam à beira da estrada. “Esses elementos formam o ecossistema no qual esse trabalho está inserido”.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Inscrições para concurso de aplicações para beacons são prorrogadas até o fim de outubro

Be an Icon é promovido pelo CeMEAI e pela Siena Idea

 

inscricoes

 

As inscrições para o Be an Icon foram prorrogadas até o dia 31 deste mês. O concurso, realizado pelo CeMEAI em parceria com a Siena Idea, tem como objetivo promover aplicações para a tecnologia dos beacons, pequenos dispositivos físicos que emitem curtos pacotes de dados bluetooth com certa frequência e raio de alcance programáveis.

Podem participar do concurso quaisquer alunos da USP, de qualquer campi, em grupos de até cinco pessoas. Os vencedores serão estimulados a criar startups, de maneira a contribuir para o crescimento do ecossistema baseado nesta tecnologia.

As inscrições podem ser realizadas no site do Be an Icon, onde também consta o regulamento do concurso.

Concurso estimula aplicações com a tecnologia dos beacons

Podem participar todos os alunos de graduação e pós-graduação da USP

 

Todos os alunos da USP - Universidade de São Paulo estão convidados a participar do concurso Be an Icon, promovido pelo CEPID - CeMEAI, que estimula a criação de aplicações com a tecnologia dos beacons. Saiba mais sobre o prêmio: https://goo.gl/3VWYY0

Publicado por CEPID - CeMEAI em Sexta, 30 de setembro de 2016

 

O CEPID-CeMEAI e a empresa de inovação Siena Idea estão promovendo um concurso que estimula a criação de aplicações com a tecnologia dos beacons - pequenos dispositivos físicos que emitem curtos pacotes de dados bluetooth com certa frequência e raio de alcance programáveis.

“A utilização de beacons para sinalização de produtos para venda, itens de acervo em museus e em guias eletrônicas para turismo é bem conhecida. Pretende-se, com este concurso, expandir o universo de utilização destes dispositivos dentro do que se convencionou chamar de Internet das Coisas”, explica Edson Moreira, pesquisador do CeMEAI.

Ainda segundo ele, o desenvolvimento de aplicações com beacons inseridos em contextos definidos pela combinação de dados oriundos da leitura de sensores comumente disponíveis em smartphones, do tipo acelerômetro, GPS, NFC, etc, pode gerar utilizações novas e inovadores para esta tecnologia. “Os escopos principais de aplicação seriam o uso domiciliar, comercial e em ITS (Intelligent Transportation Systems). No entanto, propostas em outras áreas poderiam também ser consideradas”.

Os vencedores serão estimulados a criar startups, de maneira a contribuir para o crescimento do ecossistema baseado nesta tecnologia.

Podem participar alunos de graduação e pós-graduação da USP, de qualquer curso, de todos os campi.

O cronograma e regulamento podem ser acessados no site do concurso. As inscrições podem ser feitas também pelo site, a partir do dia 1º de outubro.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Sobre a Siena Idea

A Siena Idea é um agente de inovação localizado em São Carlos, cujo objetivo é transformar o conhecimento novo gerado nas universidades de São Carlos em algo de valor para o mercado. E o inverso também: trazer problemas complexos e relevantes do mercado para serem pesquisados pela academia.

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Protótipos da Feirinha de Produtos surpreendem empresários

Estudantes expuseram resultados de quatro meses de pesquisas

 

Na manhã de hoje, foi realizada a edição 2015 da Feira de Produtos, evento do Icmc Usp que estimula alunos a resolverem problemas reais de empresas. Entenda: http://goo.gl/C7w67m

Publicado por CEPID - CeMEAI em Sexta, 4 de dezembro de 2015

Ainda faltava uma hora para a abertura oficial da Feirinha de Produtos, mas a movimentação já era intensa no hall da Biblioteca do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos. Quase 100 estudantes acertavam os últimos detalhes do que iriam expor. Foram quatro meses de muito trabalho. Vinte e dois grupos foram montados para resolver problemas reais de três empresas: Siena Idea, Sanca Ventures e Enalta. Desde julho, os alunos avaliaram os casos. Hoje, os protótipos foram apresentados com os planos de negócios elaborados.

Pela Enalta, o desafio era na área de Comunicação para o Agronegócio e Energia. Um dos grupos, do qual participa o aluno Giovani Cunha Mocellin, desenvolveu um Data System Truck, uma interface de conexão remota entre tratores e um servidor central, por meio de dispositivos Android para envio de dados e armazenamento de informações. “Eles queriam que a gente fizesse uma conexão entre os sensores instalados nos tratores e o servidor deles. No sistema que desenvolvemos, os dados são gerados automaticamente. Fizemos também um aplicativo para celular, para acessar esses dados”, disse o estudante.

Em outro grupo, foi feito um protótipo para ajudar a Sanca Ventures. A empresa apresentou três problemas que gostaria de ver resolvidos. Nas áreas de “Marketing em Smart TVs”, “Monitoramento pela Internet e Segurança” e “Streaming para o ensino de línguas”. Rafael Victor Ferreira está entre os alunos que optaram pelo monitoramento pela Internet e Segurança. Ele cursa o último ano da Engenharia de Computação. “Nós desenvolvemos um aplicativo web, que, a partir da detecção de movimento em câmeras espalhadas pela empresa, gera uma notificação no notebook ou celular. E, a partir dessa notificação, você pode marcar se é uma situação de segurança ou de risco”. Junto a ele trabalhou outro estudante, Rodrigo Martins Racanicci, que comentou sobre a importância de projetos assim. “A gente tem mais contato com o problema, porque sabemos que temos de entregar algo funcionando. E é algo complexo, que envolve tanto módulo de software como de hardware, e nós temos que organizar tudo isso para fazer. Mas acabou dando certo”, ele concluiu.

Florence Sarmah também trabalhou para a Sanca Ventures, mas resolvendo um problema sobre streaming (tecnologia que envia informações multimídia) para o ensino de línguas. A empresa já tinha um projeto para o ensino de mandarim, só que utilizando o Skype, e, segundo a estudante, eles não queriam mais depender de uma empresa externa; queriam ter o próprio streaming de vídeo. Ela comenta que “do último checkpoint pra cá, checamos bastante a usabilidade do protótipo, pra deixar algo agradável para o usuário, pra entender os comandos sem precisar de um tutorial”.

A Feirinha de Produtos também abriu espaço para quem não resolveu um problema específico, mas inovou. Leonardo Sampaio, do terceiro ano de Ciências da Computação, criou com colegas um aplicativo diferente que pode ser usado por qualquer pessoa. “Nossa ideia foi criar uma experiência social que traga surpresa para a vida das pessoas. Chama-se “Becom” e é uma rede social baseada nos amigos do Facebook, só que tudo o que vocês posta é efêmero. Acaba em uma hora, meia hora. E você só vê se você tiver dentro do raio daquele conteúdo que você criou. Cada conteúdo a gente chama de becom. Quanto mais você curte, mais aumenta a vida útil do becom, mais o seu raio aumenta e atinge mais pessoas”, explicou Leonardo.

Várias empresas da região foram convidadas a prestigiar o evento, que faz parte da iniciativa “Projeto como Produto (PcP)”, ligada ao conteúdo abordado em duas disciplinas: a de Redes Móveis e a de Tópicos Avançados em Comunicação. O coordenador do PcP é o pesquisador do CeMEAI e professor do ICMC Edson Moreira. “Os trabalhos foram bem-sucedidos. O clima mostra isso. Os alunos estão motivados e contentes de terem resolvido os projetos”, falou Edson.

Os empresários também ficaram animados com os resultados. Pedro Siena, criador da empresa Siena Idea e desenvolvedor de negócios da marca, contou que acompanha os trabalhos do PcP desde o início e agora chegou a hora de ver as ideias – que já eram interessantes – se tornarem realidade. A Siena Idea trouxe para a Feirinha problemas na área de sinalização por beacons e ferramentas educacionais. “Aqui não há produtos prontos para serem implantados nas empresas. Mas para aqueles empresários que conseguem olhar e vincular isso às suas necessidades, sabendo que ainda são ideias prototipadas, eu diria que aqui a gente se sente numa Disneyworld. É como se cada uma das ideias fosse uma grande atração”, finaliza Pedro.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. O CeMEAI é especialmente adaptado e estruturado para promover o uso de ciências matemáticas (em particular matemática aplicada, estatística e ciência da computação) como um recurso industrial.

As atividades do Centro são realizadas dentro de um ambiente interdisciplinar, enfatizando-se a transferência de tecnologia e a educação e difusão do conhecimento para as aplicações industriais e governamentais. As atividades são desenvolvidas nas áreas de Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software. 

Além do ICMC, o CEPID-CeMEAI conta com outras seis instituições associadas: o Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de São Carlos (CCET-UFSCar); o Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (IMECC-UNICAMP); o Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (IBILCE-UNESP); a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT-UNESP); o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); e o Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP).

Assessoria CEPID-CeMEAI

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Feirinha de Produtos será sexta-feira no Hall da Biblioteca do ICMC

Várias empresas e o público em geral foram convidadas para o evento

 

IMG 6693 Large          IMG 6727 Large

Nesta sexta-feira (04) vai ser realizada a Feirinha de Produtos. A atividade faz parte da iniciativa “Projeto como Produto (PcP)”, diretamente ligada ao conteúdo de duas disciplinas dadas no ICMC: a de Redes Móveis e a de Tópicos Avançados em Comunicação. Os temas estão relacionados principalmente com ferramentas de comunicação remota para ensino, aplicações no agronegócio, controle de câmeras de vigilância à distância e sistemas de sinalização de ambientes e objetos por beacons.

Participam cerca de 90 alunos, divididos em 22 grupos. Desde julho os estudantes trabalham na resolução de problemas expostos a eles por representantes de três empresas participantes: Siena Idea, Sanca Ventures e ENALTA. Foram 4 meses para avaliar os casos e agora os 22 protótipos serão apresentados com seus planos de negócios elaborados.  

O evento vai das 10 da manhã ao meio-dia, no Hall da Biblioteca do ICMC e o projeto é coordenado pelo pesquisador do CeMEAI e professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, Edson Moreira. Várias empresas foram convidadas a prestigiar a iniciativa.

Serviço:

Quando: sexta-feira, 04 de dezembro

Onde: Hall da Biblioteca do ICMC

Horário: das 10h às 12h

Aberto ao público

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. O CeMEAI é especialmente adaptado e estruturado para promover o uso de ciências matemáticas (em particular matemática aplicada, estatística e ciência da computação) como um recurso industrial.

As atividades do Centro são realizadas dentro de um ambiente interdisciplinar, enfatizando-se a transferência de tecnologia e a educação e difusão do conhecimento para as aplicações industriais e governamentais. As atividades são desenvolvidas nas áreas de Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC, o CEPID-CeMEAI conta com outras seis instituições associadas: o Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de São Carlos (CCET-UFSCar); o Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (IMECC-UNICAMP); o Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (IBILCE-UNESP); a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT-UNESP); o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); e o Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP).

Texto: Assessoria CEPID-CeMEAI

Fotos: Reinaldo Mizutani - PcP 2014

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609 

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 2