Fraudes Eletrônicas

Notícias Relacionadas

Pesquisadores

Francisco Louzada Neto, Anderson Ara Souza

O trabalho foca no desenvolvimento de novas metodologias para a detecção de fraudes com o uso de modelagem estatística e computacional. Leva em consideração a estrutura aleatória e volátil da fraude para conseguir maior capacidade de prevê-la.

Um modelo pode indicar corretamente quem é e quem não é o fraudador, mas também pode errar e concluir que você é fraudador mas você não é (falso positivo). Ou o contrário: indicar que você não seja um golpista, mas na verdade você é (falso negativo).

A tentativa é desenvolver, com a maior certeza possível, modelos estatísticos que possam prever de forma adequada uma possível fraude e avaliar casos em que não foi fraude, mas sim um erro do sistema, ou do internauta dono do cartão usado.

Última modificação em Segunda, 27 Junho 2016 19:39