ptzh-CNenfrdeitjarues

Eventos

Workshop reúne especialistas em Modelagem Computacional

Evento apoiado pelo CeMEAI foi organizado pelo Laboratório LMACC do ICMC

 

workshop modelagem 2

 

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), da USP, em São Carlos, sediou nessa sexta-feira (12), o Workshop de Modelagem Computacional organizado pelo Laboratório de Matemática Aplicada e Computação Científica (LMACC), com apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

Com o objetivo de reunir pesquisadores de modelagem computacional, principalmente da área de dinâmica de fluidos e modelagem de fluidos complexos, o evento trouxe especialistas para divulgar suas pesquisas, promover a troca de experiências e estabelecer parcerias em projetos com possíveis intercâmbios científicos.

Antes da primeira apresentação sobre “Solução Numérica de Escoamentos Viscosos com Superfícies Livres: 2D e 3D”, o apresentador e pesquisador Murilo Francisco Tomé foi homenageado com uma placa de agradecimento, após ter anunciado sua aposentadoria. “ Não tenho planos de deixar o meio acadêmico, sigo no ICMC e no CeMEAI colaborando com as ciências matemáticas por meio de pesquisas”, disse ele.

 

workshop modelagem
O professor Murilo Tomé (ao centro) foi homenageado no evento

 

O pesquisador Antonio Castelo Filho organizou o workshop ao lado de Fabrício Simeoni de Sousa e foi surpreendido por ele ao receber uma placa também de agradecimento e reconhecimento pelo seu trabalho, no dia que comemorou 60 anos de idade.

 

workshop modelagem 3
Aniversariante, o professor Antonio Castelo Filho também recebeu homenagem

 

Trouxeram contribuições ao evento Luís Lima Ferrás e Célio Bruno Pinto Fernandes, vindos de Portugal, Rafael Alves Figueiredo que falou sobre “Numerical simulation of complex two-phase flows”; Hugo Alberto Castillo Sánchez, sobre “Numerical simulation of complex fluids in hierarchical grids”. No período da tarde, Gustavo C. Buscaglia contribuiu com sua pesquisa denominada “Numerical microswimmers learning tasks by reinforcement learning”; Geovane A. Haveroth apresentou seu trabalho “Topological Optimization for Additive Manufacturing”; Hugo Luiz Oliveira, “Mathematical modeling and numerical simulation of the Wheatley heart valve”; Rodolfo André Kuche Sanches falou sobre “Formulações numéricas para problemas de interação fluido-estrutura com mudanças topológicas” e Livia Souza Freire Grion, sobre “Simulação de turbulência utilizando um modelo estocástico unidimensional”.

A maioria dos apresentadores deste workshop estará no Encontro Conjunto Brasil-Portugal em Matemática, que acontecerá de 14 a 20 de agosto, na Universidade Federal da Bahia e tem no comitê científico José Alberto Cuminato, diretor do CeMEAI.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609 / (19) 99199-8981

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - Americanas S.A.

 

A Americanas S.A. participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CEPID - CeMEAI. Confira o relato de quem participou dos estudos!

 

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - MRS - Problema 2

 

A MRS Logística participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI, com a apresentação de dois problemas. Conheça o segundo deles e confira o relato de quem participou dos estudos!

 

Minicurso oferece contribuições matemáticas ao setor elétrico brasileiro

Evento estudou os impactos das operações, programação do despacho e precificação

 

participantes

 

Com o objetivo de resolver problemas reais da indústria e órgãos governamentais, o CEPID-CeMEAI organiza e apoia ações que sigam nessa direção, estando presente em mais uma edição do minicurso “Trans-Atlantic Cooperation on Energy Market Models” (TACEMM), realizado em Florianópolis-SC, no mês de junho, com a intenção de transferir conhecimentos matemáticos para o setor elétrico brasileiro.

Foram 22 participantes, entre eles, profissionais do setor elétrico do Brasil e Noruega, professores e alunos de pós-graduação que discutiram soluções para a flexibilidade das novas tecnologias de oferta e consumo de eletricidade.

Claudia Sagastizábal e Paulo J. S. Silva são pesquisadores do CeMEAI e organizaram o evento que contou com três linhas principais de estudo, cada uma delas discutida em um dia, no primeiro, como são feitas as operações atuais com desafios da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O segundo dia do minicurso foi dedicado à oferta de preços e emulação do atual modelo DESSEM. E o último dia, trouxe a comparação dos desvios de receita dos geradores e satisfação dos consumidores.

“Esta flexibilidade de novas tecnologias suscita uma revisão dos paradigmas empregados para planejamento das operações, programação do despacho e formação de preços no setor elétrico brasileiro”, disse Claudia, afirmando ser essa uma discussão crucial para um momento em que são estudadas alternativas para a precificação por oferta, diferentemente do sistema atual que se baseia nos preços por custos.

minicurso

“O minicurso estudou o impacto que diferentes mecanismos de preços podem causar na receita dos agentes. O sistema teste que empregamos nos exercícios foi criado pelo CEPEL, incluindo-se dados reais de usinas hidrelétricas e termelétricas do Brasil. Ainda, para uma maior aderência ao sistema brasileiro, os cálculos foram feitos empregando uma variante da versão acadêmica do atual modelo DESSEM criada para o CEMEAI, que define despachos centralizados, emulando o problema de minimização de desvios de receitas”, explicou.

Além do CeMEAI, o evento contou ainda com o apoio do IMECC/Unicamp da empresa Norus Tecnologia. Lucas Roberto Dagort foi um dos participantes, ele é técnico de desenvolvimento de sistemas e aplicações na empresa Norus. “Desde que entrei na graduação sou interessado pelo mercado de energia. Assim, com o aprofundamento de meus estudos na área eu me deparei que o mercado de energia é muito dinâmico devido a integração de novas tecnologias. Um dos motivos por ter participado do curso TACEMM foi buscar entender um pouco mais sobre essas mudanças que o setor está enfrentando, em particular as mudanças relativas ao comportamento dos consumidores”, disse.

“O curso ministrado pela Prof. Claudia Sagastizábal preencheu todas as minhas expectativas. O fato do curso ter tido uma parte teórica e uma parte prática ajudou muito na compreensão do problema. A teoria foi essencial para ter um ponto de vista matemático de como modelar cada agente do mercado de energia. Todavia, foi durante as sessões práticas que foi possível ter uma visão mais clara da problemática, em especial como cada um dos agentes tendem a reagir com a mudança do comportamento dos consumidores com o intuito de tirar vantagens”, afirmou Lucas sobre as contribuições do evento. 

O CEO da Norus, Vitor Luiz de Matos, comentou sobre a importância de apoiar o evento. “ Há muitos anos, a Norus vem desenvolvendo e apoiando projetos que ajudem o mercado de energia a ser cada vez mais eficiente, quando a Prof. Claudia trouxe o desejo de fazer esse curso, entendemos que estava muito alinhado com essa visão e gostaríamos de ajudar a tornar uma realidade. Ficamos bastante contente com o resultado e com a qualidade do conteúdo que foi discutido durante o curso, acreditamos que esse compartilhamento de conhecimento é indispensável para a evolução do nosso mercado”, concluiu.

 

Raquel Vieira – Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - MRS - Problema 1

 

A MRS Logística participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI, com a apresentação de dois problemas. Conheça um deles e confira o relato de quem participou dos estudos!

 

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - MRS - Problema 1

A MRS Logística participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI, com a apresentação de dois problemas. Conheça um deles e confira o relato de quem participou dos estudos!

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 31 de maio de 2022

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - CEPEL

 

O CEPEL/Eletrobras participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI. Conheça o problema apresentado pela instituição e confira o relato de quem participou dos estudos!

 

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - CEPEL

O Eletrobras Cepel participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CEPID - CeMEAI. Conheça o problema apresentado pela instituição e confira o relato de quem participou dos estudos!

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quarta-feira, 18 de maio de 2022

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - CCEE

 

A CCEE participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI. Conheça o problema apresentado pela instituição e confira o relato de quem participou dos estudos!

 

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - CCEE

A CCEE - Câmara de Comercialização de Energia Elétrica participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI. Conheça o problema apresentado pela instituição e confira o relato de quem participou dos estudos!

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 10 de maio de 2022

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - Imaflora

 

O Imaflora participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI. Conheça o problema apresentado pela instituição e confira o relato de quem participou dos estudos!

 

8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais - Imaflora

O Imaflora Brasil participou do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, realizado pelo CeMEAI. Conheça o problema apresentado pela instituição e confira o relato de quem participou dos estudos!

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 3 de maio de 2022

Resultados do workshop para problemas industriais são apresentados

8ª edição contou com a MRS Logística, Americanas, Imaflora, CCEE e Eletrobras/Cepel

 

participantes workshop cemeai

 

O 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, organizado pelo Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com apoio da Sociedade Brasileira de Geofísica (SBGf) e do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) foi realizado entre os dias 7 e 11 de março de 2022 e é um evento que nem sempre termina quando acaba. Ele é também o início de sólidas parcerias entre a academia e indústria, confirmando esse propósito na mais recente edição.

O objetivo do workshop é colocar frente a frente problemas reais das empresas e desafiar alunos e professores, durante uma semana, a desenvolverem técnicas matemáticas que contribuam com as possíveis soluções.

Cinco problemas de quatro empresas participantes foram atacados na oitava edição. Dois deles da empresa MRS Logística que participou pela primeira vez. Uma das necessidades da empresa era priorizar a entrada de locomotivas em oficina. Outro problema tratou de parâmetros de sucateamento. O grupo conseguiu criar sistemas para tomadas de decisões em ambos os casos, incluindo a incorporação de causas de falhas e recebeu elogios de um dos representantes da empresa que acompanhou os trabalhos, Thalisson Travenzoli. “Só tenho a agradecer pelo empenho de todos. Iremos agora discutir com nossos técnicos os próximos passos a serem seguidos para utilização do modelo proposto no workshop”.

O pesquisador do CeMEAI Pedro Augusto Munari Jr, professor na UFSCar/São Carlos, foi um dos coordenadores do problema relacionado ao direcionamento da frota das locomotivas para as oficinas de manutenção disponíveis. Os códigos com os modelos e heurística que poderão ser usados no suporte às decisões foram entregues ao final da semana que ele classificou como inesquecível. “O aprendizado nesse evento é muito grande. Conhecemos problemas que não conhecíamos e que não existem nem na literatura. Quem participa não tem outro motivo a não ser o amor à pesquisa e matemática”, disse.

A Americanas S.A. – que conta com uma plataforma de e-commerce gigante, com mais de 137 milhões de itens à disposição dos clientes – também esteve no workshop interessada em aperfeiçoar sistemas para detecção de possíveis anomalias de preços em sua plataforma. Esse grupo teve um modelo híbrido de participação já que os alunos coordenados pelo professor Krerley Oliveira, da UFAL, trabalharam presencialmente. A ideia da companhia é detalhar as importantes conclusões obtidas no evento e utilizá-las internamente.

Seguindo uma sequência de participação em várias edições, Eletrobras/Cepel segue no workshop com a difícil missão de analisar matematicamente o mecanismo de preços por oferta no mercado de energia elétrica brasileira. “O empenho da equipe é sempre incrível que chegou até novas versões do problema e execuções do modelo. É um trabalho que não para no dia de hoje”, comentou André Diniz, pesquisador e chefe de departamento do Cepel.

E na tentativa de olhar para o desmatamento desenfreado, o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola- Imaflora retornou ao workshop, desta vez, para um trabalho de mapeamento das cadeias de produção de madeira da Amazônia que irá auxiliar na orientação de boas práticas de manejo florestal e no desenvolvimento de informação e inteligência para apoiar o governo em seus esforços de comando e controle da exploração ilegal. Marco Lentini, que é coordenador de projetos da empresa comentou sobre os progressos desta parceria com o CeMEAI. “A ideia é seguir nessa parceria após o workshop novamente. Esse não é um trabalho que termina aqui, pelo contrário, estamos cheios de novas perspectivas para seguir. Gostaria de destacar esse olhar para os dados, uma vez que passamos mais de uma década trabalhando sem informação e agora temos ferramentas para fazer a coisa certa”.

gather workshop cemeai

O diretor do CeMEAI, José Alberto Cuminato, é um entusiasta desse modelo de evento já utilizado com sucesso em grandes universidades do exterior. “Sempre encerramos esse workshop mais otimistas do que começamos. São problemas reais e complexos que muitas vezes têm mais de um encaminhamento e motivar os atores a trabalharem nessa interface academia/indústria, é uma realização muito grande. Quando iniciamos, em 2015, havia dificuldade até de participação de empresas pela novidade do modelo, mas agora percebemos o retorno de algumas delas em várias edições com os resultados obtidos, o que nos encoraja por estar no caminho certo”.  

Nessa oitava edição, uma das novidades é que o evento foi realizado na plataforma Gather Town e ganhou a aprovação da maioria. “Esse modelo online também é bom porque conseguimos que participantes de várias localidades do país e de fora façam parte. Olhando para os resultados estamos certos de que o papel do CeMEAI está sendo cumprido”, finalizou Cuminato.

 

Sobre o CeMEAI  

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional. Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME[1]USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Conheça as empresas que estarão no 8º workshop do CeMEAI

Evento para interessados em resolver problemas reais da indústria começa segunda (7)

 

empresas

 

As empresas Americanas S.A., CCEE, Eletrobras/Cepel, Imaflora e MRS Logística irão desafiar os participantes do 8º Workshop de Soluções Matemáticas para Problemas Industriais, que está com inscrições abertas e ocorrerá entre os dias 7 e 11 de março.

Organizado pelo Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), o evento tem apoio da Sociedade Brasileira de Geofísica (SBGf) e Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA).

O evento tem como principal objetivo incentivar o contato entre as instituições organizadoras e o setor produtivo, especialmente as áreas de energia, tecnologia e serviços. Desta forma, as empresas inscritas apresentam problemas em suas linhas de produção e os participantes, sob coordenação dos pesquisadores do CeMEAI, se empenham para apresentar ferramentas matemáticas e/ou computacionais que solucionem de forma concreta o problema da Indústria.

Nessa edição, a Americanas S.A. participará pela primeira vez e traz o problema denominado: Detecção de anomalias de preços. O desafio proposto consiste na criação de métodos que permitam a detecção de problemas relacionados à precificação inadequada (anomalias) dos itens vendidos pelos parceiros. Para isso, pode-se utilizar como referência, por exemplo, o histórico de preços anteriores de um item, a associação desse item com itens similares de outros vendedores, ou mesmo as vendas realizadas em dado período. A detecção prematura desses casos evita prejuízo para o parceiro, diminuem as taxas de cancelamento de pedidos e esforços do time de atendimento e SAC.

Parceiras do evento há várias edições, a CCEE e a Eletrobras/Cepel darão continuidade ao tema abordado em 2018, 2019 e 2021. Em 2022, o foco estará na análise de mercados competitivos de energia, e o seu impacto no sistema interligado nacional. A proposta do workshop é utilizar indicadores matemático-econômicos para comparar os desvios de despachos e encargos associados, nas abordagens de preço por custo e por oferta, avaliando também a alternativa de definir o despacho físico (com representação detalhada da rede elétrica) com base numa função objetivo que minimize o desvio (ou encargo) em relação ao despacho comercial (rede elétrica simplificada). Os estudos serão realizados utilizando uma versão acadêmica do modelo DESSEM.

O Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) retorna ao evento com novos desafios ligados ao meio ambiente. É uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em 1995 que trabalha para promover a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais, gerar benefícios sociais e reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa.

Já a MRS Logística é uma operadora logística que administra uma malha ferroviária de 1.643 km que abrange os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. O desafio entregue aos participantes está relacionado com o laboratório de recuperação de componentes eletroeletrônicos na busca de parâmetros pré-estabelecidos para tomada de decisão de sucateamento ou retirada de circulação dos itens que a empresa recupera. O objetivo é o desenvolvimento de um sistema/plataforma com analise de todas as variáveis.

 

Participantes vão trabalhar em um novo ambiente virtual

gather1   gather2

Devido à pandemia, o evento será realizado de forma virtual e nessa edição, os participantes irão utilizar a ferramenta Gather Town tornando o ambiente virtual mais interessante e divertido. Saiba mais nesse link.

A ferramenta possui um espaço de videochamada que permite que várias pessoas explorem um mapa 2D com seu avatar. A ideia é trazer o evento o mais próximo dos já realizados presencialmente. Com esse ambiente, o participante poderá fazer reuniões com seu próprio grupo, mas também interagir com os demais. Vai ser possível até mesmo fazer aquela pausa para o bate-papo informal no intervalo para o cafezinho.

O Workshop é voltado para profissionais do setor produtivo e de outras áreas do conhecimento, estudantes de pós-graduação, alunos do último ano de graduação e pesquisadores com formação em matemática, estatística e computação e áreas correlatas.

Não perca tempo para garantir sua participação!

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 18